05
Fev 14

Os mecos e o Meco

Se é desses

 

 

    «A Praia do Meco, pelas piores razões, tem andado nas bocas do mundo. E não é pela etimologia de Meco que poderá levar-nos à libertinagem que lhe assiste e tem assento em qualquer dicionário da Língua de Camões. A Praia do Meco, sepultura de seis jovens, leva-nos muito mais longe no mundo nacional do desnorte colectivo no que toca à arte de mal marear em terra firme.» Assim começa uma carta à directora do leitor José Amaral (Público, p. 43). Na verdade, é a etimologia de «meco», mas não interessa. Não sei se é um dos escritores profissionais de cartas aos jornais (ou, mais modestamente, ao Público), mas fica já a saber que: «Júlia contou que para se vingar do intolerável Pedrito e das mal toleradas menstruações, decidira ir perder a virgindade nos nudistas da praia do Meco» (Sem Nome, Helder Macedo. Rio de Janeiro: Editora Record, 2006, p. 81).

 

 [Texto 3991]

Helder Guégués às 23:25 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Acessório/assessório»

Diz-me que é mentira

 

 

      «A avó do marido, com 80 anos, foi atingida com 13 tiros. Saltão foi detida há cerca de um ano e chegou a estar em prisão preventiva durante seis meses, tendo depois saído e ficado sujeita a apresentações mensais no Tribunal da Maia, localidade onde reside. A inspectora estava ainda sujeita a uma medida de coacção assessória de suspensão das funções» («Inspectora da PJ acusada de matar avó do marido», Pedro Sales Dias, Público, 5.02.2014, p. 10).

    Custa a acreditar que um jornalista despreze a tal ponto a ortografia. Sim, a ortografia não é tudo, decerto, mas é a parte mais visível e reconhecível da língua escrita. De futuro, muita atenção a este lindo par — acessório/assessório.

 

[Texto 3990]

Helder Guégués às 22:19 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «clip», de novo

Tudo igual

 

 

      «Alguns minutos mais tarde, Rashid irrompeu pela sala, sujo, a cheirar a pólvora, com clipes de  munições de G3 a caírem-lhe dos bolsos, falando pelos cotovelos e fazendo com que ninguém entendesse uma única palavra» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 319).

      Neste caso, até seria bom que não fossem coerentes — e traduzissem correctamente o termo clip, que significa, deixem-me dizê-lo explicitamente, neste contexto, «carregador».

 

 [Texto 3989]

Helder Guégués às 18:28 | comentar | ver comentários (3) | favorito

Mao Tsé-tung

Assim não, camaradas

 

 

      «Contou a Paul e a Bill que aquele tipo de coisas não era novidade; fora missionário na China durante a Segunda Guerra Mundial, durante a invasão japonesa, e mais tarde, durante a revolução que levara Mao-Tse Tung ao poder» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 296).

    Nem na imprensa nem em livros anglo-saxónicos se vê isto; está no original, mas está errado. Eu escrevo sempre, e já expliquei porquê no Assim Mesmo, Mao Tsé-tung. Também se usa Mao Tsé-Tung, além de, com a nova transliteração, Mao Zedong.

 

 [Texto 3988]

Helder Guégués às 17:55 | comentar | favorito
Etiquetas:

Tradução: «vaguely»

Outra vez

 

 

   «Avançava na direção geral do Bucareste» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 305).

   Lembramo-nos logo de um ministério, não é? Escolha infeliz para traduzir «vaguely heading».

 

 [Texto 3987]

Helder Guégués às 17:46 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
05
Fev 14

Tradução: «legal code»

Até é mais simples

 

 

    «A prestabilidade da vossa companhia está a abrir caminho para uma mudança de atitude em relação a Chiapparone e Gaylord. O nosso código civil contempla a clemência em relação aos que fornecem informações» (O Voo das Águias, Ken Follett. Tradução de Isabel Nunes e Helena Sobral. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 3.ª ed., p. 303).

    Então a melhor tradução de helpfulness é «prestabilidade»? E é claro que legal code não é o «código civil», mas simplesmente — e diferentemente — «código legal».

 

[Texto 3986]

Helder Guégués às 17:42 | comentar | favorito
Etiquetas: