07
Mar 14

Ortografia: «antiafrodisíaco»

Teria sido melhor

 

 

    «Aquele tipo de calçado tinha sempre um efeito levemente anti-afrodisíaco sobre Strike, porque lhe fazia lembrar os chinelos de dobrar que a sua Tia Joan costumava trazer na mala e, por conseguinte, joanetes e calos» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., pp. 343-44). No original: «This kind of footwear always had a slightly anaphrodisiac effect on Strike, because it reminded him of the fold-up slippers his Aunt Joan used to carry in her handbag, and therefore of bunions and corns.»

    Bem, também nós temos anafrodisíaco, e mais valia que tivessem optado por ele ­— pelo menos não lhe pespegariam com um hífen.

 

[Texto 4193]

Helder Guégués às 20:53 | comentar | favorito
Etiquetas:

Léxico: «abas do nariz»

Abas e asas

 

 

      «A maquilhadora, quase tão alta e magra quanto as modelos, estava debruçada sobre a rapariga negra, premindo uma esponja sobre as abas do nariz dela» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., p. 342). No original: «The makeup artist, almost as tall and thin as the models, was bending over the black girl, pressing a pad into the sides of her nose.»

   Também se lê de vez em quando, é verdade, mas mais usual é «asas do nariz». Contudo, está certo, e quanto mais diversidade, melhor.

 

[Texto 4192]

Helder Guégués às 20:34 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

AOLP90 e a gramática

A gramática, mais do que tudo

 

 

      «Esta semana, no meio de uma embrulhada confusão de razões, contra-razões e subtilezas pouco subtis, saltitando de argumentos e de posições que não lembrariam ao Diabo, pior, que não lembrariam aos engendradores do Acordo Ortográfico, ficou-se a perceber uma coisa que digo já qual é. Mas antes, seja-me permitida uma sugestão: a de que futuros negociadores do mesmo instrumento, deputados ou não, académicos ou professores, editores, tradutores ou revisores de provas, sejam reciclados através de um curso intensivo de gramática da língua portuguesa, como condição essencial para integrarem esse grupo» («‘Omnes discrepantes’», Vasco Graça Moura, Diário de Notícias, 5.03.2014, p. 54).

 

[Texto 4191]

Helder Guégués às 18:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «renal failure»

Sempre o inglês

 

 

      «O diclofenaco é um anti-inflamatório que pode ser usado para tratar gado bovino. O problema é que o fármaco permanece no organismo dos animais durante algum tempo após a morte e é altamente tóxico para os abutres, que se alimentam das carcaças deixadas ao ar livre. Dois dias depois de ingerirem carne contaminada, as aves morrem de falência renal» («Fármaco de uso veterinário vendido em Espanha e Itália ameaça abutres europeus», Marisa Soares, Público, 7.03.2014, p. 30).

    «Falência renal»... do inglês renal failure. Ora, em inglês também se diz renal insufficiency, como nós dizemos: insuficiência renal.

 

[Texto 4190]

Helder Guégués às 11:33 | comentar | ver comentários (7) | favorito

«Consenso/compromisso»

Mais gramaticalmente?...

 

 

      «Para explicar o que foi o “consenso” em Portugal, talvez seja melhor começar pela Carta Constitucional de 1826, “outorgada” por D. Pedro IV. A Carta pretendia reconciliar o radicalismo “vintista” com o antigo regime, e a alta nobreza tradicional com a classe média e a plebe das cidades. Não se dizia “consenso” nessa altura, mas mais gramaticalmente “compromisso” e, em certos casos, “fusão”» («Uma pequena história do ‘consenso’», Vasco Pulido Valente, Público, 7.03.2014, p. 52).

 

[Texto 4189]

Helder Guégués às 10:35 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
07
Mar 14

Tradução: «Jesus sandals»

Sem blasfémia

 

 

      «Vestia uma sweatshirt ligeiramente surrada e sandálias nazarenas sem peúgas; era o dia mais quente do ano até àquele momento» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., p. 296).

      Não me parece nada mal, mas até agora só tinha lido assim em obras em língua castelhana. Eu conhecia-as por sandálias à Cristo, ou seja, mais próximo do original: «He was wearing a slightly tatty sweatshirt and Jesus sandals on bare feet; it was the warmest day of the year so far.»

 

[Texto 4188]

Helder Guégués às 07:51 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: