08
Mar 14

Tradução: «mortician»

Confusão total

 

 

      «– Mr. Strike? ­– disse o médico-legista grisalho, espreitando para fora da porta, de bata branca e luvas de látex. – Pode entrar» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., p. 400).

      Mais um dos tais erros e incongruências que por vezes derrotam a nossa vontade de ler. Já aqui tínhamos visto pathologist traduzido por «patologista» e coroner traduzido (erradamente) por «médico-legista». Agora temos um mortician traduzido, repetidamente, também por «médico-legista»? Em Bem-Vindos a Beirais temos dois morticians, um gordo, Joaquim Brito, e outro magro, Moisés Lameiras. São agentes funerários, cangalheiros, não são médicos-legistas, caraças.

      «“Mr. Strike?” said the gray-haired mortician, peering around the inner door, in white coat and latex gloves. “Come on in.”»

 

[Texto 4195] 

Helder Guégués às 19:09 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
08
Mar 14

Tradução: «injunction»

Tudo igual?

 

 

      «Os meus pais pediram uma providência cautelar contra mim — informou-o Duffield» (Quando o Cuco Chama, Robert Galbraith. Tradução de Ana Saldanha, Maria Georgina Segurado e Rita Figueiredo. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2013, 2.ª ed., p. 371). No original: «“My parents’ve got an injunction out against me,” Duffield informed Strike.»

    Eu próprio já uma vez propus, no Assim Mesmo, que se traduzisse injunction por «providência cautelar». Contudo, nesta obra, em que há várias ocorrências de restraining order, não tenho tanta certeza de que não deva ser outra a tradução. Não deve sempre a tradução acompanhar a riqueza e variedade do original?

 

[Texto 4194]

Helder Guégués às 09:29 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: