14
Abr 14

Como se escreve nos jornais

Se é que percebem

 

 

      E agora, para acabar o dia com algo espirituoso (bebi um moscatel de Favaios, mas não é o mesmo), este título da edição de hoje do Público: «Apreendidos mais de 77 mil cigarros em situação ilegal» (p. 13). Como se falassem de romenos ou vietnamitas ilegais que trabalhassem nas vindimas no Alentejo ou no Douro. (Obrigado, Francisco, é mesmo a pérola do dia.)

 

[Texto 4394]

Helder Guégués às 23:12 | comentar | favorito
Etiquetas:

Denier (den)/decitex (dtex)

Química e física das coisas banais

 

 

      «A designação meias de vidro», escreveu (mal, a frase está torta), faz agora dois anos, o químico Sérgio Rodrigues no De Rerum Natura, «está a cair em desuso e é provavelmente devida ao seu tradicional brilho e transparência.» Será verdade, mas é o que se lia na obra: «entrou na loja e queria meias de vidro, opacas, de 50 ou de 30 den». Os nossos dicionários acham-se desobrigados de explicar estas coisas. O Houaiss, se não regista o símbolo, não omite o resto: denier é a «antiga unidade usada para mensurar fios de seda e fibras artificiais substituída pelo decitex», que é a «unidade que determina a proporção de fibras têxteis, correspondente à massa em gramas de um comprimento de 10 000 m do produto». Será como em relação a centígrado/Celsius: vão passar-se lustros, décadas, séculos e continuará a dizer-se «denier».

 

[Texto 4393] 

Helder Guégués às 22:57 | comentar | favorito

«Auscultador/estetoscópio»

Segunda opinião

 

 

      E agora dava jeito, para acompanhar a variação do original, encontrar um sinónimo de «estetoscópio», mas o tradutor fingiu não dar por isso (nem sempre, note-se, é ignorância). Em castelhano, por exemplo, usa-se, talvez indiferentemente, fonendo (redução de fonendoscopio) e estetoscopio. O primeiro, na definição do dicionário da Real Academia Espanhola, é o «estetoscopio en el que el tubo rígido se sustituye por dos tubos de goma que enlazan la boquilla que se aplica al organismo con dos auriculares o dos botones perforados que se introducen en los oídos», e o segundo é o «aparato destinado a auscultar los sonidos del pecho y otras partes del cuerpo, ampliándolos con la menor deformación posible». Parecem ter correspondência, respectivamente, no nosso auscultador e estetoscópio, sendo este o termo mais genérico. Pelo Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não chegamos a nenhuma conclusão, como também não chegamos pela consulta do reputadíssimo Houaiss. Espero agora uma segunda opinião de um médico — e não precisa de ser um contacto directo e personalizado como defende o Conselho de Ética e Deontologia da Ordem dos Médicos.

 

[Texto 4392] 

Helder Guégués às 19:53 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «blood pressure cuff»

Língua desalgemada

 

 

   «Pulso de tensão arterial», verteu o tradutor. Bem, talvez a nossa designação seja a menos expressiva, mas paciência. Em castelhano diz-se manguito de presión [arterial]. Para nós, tanto quanto sei (e abstraindo de termos como «esfigmomanómetro», para ficarmos no mesmo registo), é simplesmente medidor de tensão arterial. Se quisermos designar a parte pelo todo, então talvez se possa dizer braçadeira de tensão arterial ou manga de tensão arterial, indo assim ao encontro do original. (Já quanto a pressão/tensão, acabam por significar o mesmo neste contexto, ainda que de diferentes pontos de vista.)

 

[Texto 4391]

Helder Guégués às 19:13 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

«Gauge», símbolo

18 G

 

 

      «Uma agulha 18G», escreveu a enfermeira. G, que tem de guardar um espaço do número que o precede, é o símbolo de gauge ou gage, que o Dicionário Houaiss regista, mas remete para «calibre», embora acrescentando que é uma medida de dimensão linear. «The diameter of a wire, fibre, tube, etc.», lê-se nos dicionários de língua inglesa. Embora o nosso sistema seja outro, deve ser mais fácil de usar do que em milímetros.

 

 

[Texto 4390]

Helder Guégués às 16:08 | comentar | favorito
Etiquetas:

Léxico: «provete»

Um tecnicismo

 

 

      «Os investigadores foram então testar as propriedades de provetes de borras de café — o nome dos tijolos-protótipo [sic] produzidos no laboratório, que têm apenas cerca de dez centímetros de comprimento. Para procurarem o melhor tijolo, testaram provetes com 5, 10, 15 e 20% de borras de café, e compararam com um provete constituído só por argila» («Como das borras de café se fabricam tijolos que isolam melhor o calor», Nicolau Ferreira, Público, 14.04.2014, p. 28).

      Provete (do francês éprouvette) é o nome que se dá a qualquer amostra para ensaio de um material e também à pequena peça de forma definida, especialmente preparada para ensaio das características mecânicas e físicas de um material. É uma extensão de sentido por metonímia, porque o sentido original em francês é o de «appareil, instrument permettant d’apprécier la nature, la qualité d’un produit». 

 

[Texto 4389]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «passarinhário»

Trapalhadas em poucas linhas

 

 

      «O documento [“despacho da Secretaria de Estado da Cultura”] destaca a “continuidade entre fachada e interiores, a fluidez da modulação espacial e a coerência estética”. Entre o património integrado, a portaria enumera o painel Sol Mexicano, de Querubim Lapa, a cabina telefónica interior e o “passarinhário”. A Mexicana “constitui um notável testemunho das tendências expressionistas da arquitetura moderna em Portugal, traduzindo a adaptação das linguagens internacionais e do organismo [sic] típico da década de 1960”» («Pastelaria Mexicana já é monumento de interesse público», Diário de Notícias, 11.04.2014, p. 23).

      «Organicismo», é o que está, e bem, no despacho. O jornalista achou por bem afirmar que era despacho e portaria, mas são actos normativos diferentes. E a errada transcrição do despacho revela como as pessoas só vêem aquilo que estão preparadas para ver. Já «passarinhário» é termo levemente burlesco e totalmente desnecessário: temos passareira.

 

[Texto 4388] 

Helder Guégués às 08:57 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:
14
Abr 14

Léxico: «advecção»

O calor afecta

 

 

   «Uma nuvem de poeiras oriundas do Norte de África e mais concretamente do deserto do Sara está a afetar o território de Portugal continental desde o final da tarde de quarta-feira e pelo menos até ao final do dia de hoje. […] Esses ventos têm permitido a “advecção e transporte da massa de ar com origem no Norte de África que poderá [sic] contribuir para o aumento [de] partículas e poeiras em suspensão” [segundo Filomena Boavida, directora do Departamento de Gestão Ambiental da Agência Portuguesa para o Ambiente (APA)]» («As poeiras de África colocam a saúde em risco», Helder Robalo, Diário de Notícias, 11.04.2014, p. 18).

      O jornalista esqueceu-se um pouco das regras do Acordo Ortográfico de 1990, mas creio que ninguém lhe pode levar a mal. Quanto a advecção, é a designação que se dá em meteorologia à transmissão do calor, por meio de correntes horizontais, através de um líquido ou gás.

 

[Texto 4387] 

Helder Guégués às 08:54 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: ,