16
Mai 14

«Suposta inocência»!

Estamos bem, estamos

 

 

   A repórter Diana Palma Duarte, na República Dominicana, falava há minutos para o Sexta às 9 num vídeo que provava «a suposta inocência de Maria Salomé», a portuguesa detida no dia 5 no aeroporto de Punta Cana por suspeita de tráfico de droga. «Suposta inocência», santo Deus. É a inversão de tudo.

 

[Texto 4582]

 

Helder Guégués às 21:30 | comentar | favorito
Etiquetas:

Sobre «facho»

Fachos transalpinos

 

 

      «Nantes. 27 liceus de Nantes, em França, convocaram para hoje um protesto contra a discriminação sexual, subordinado ao tema “o que levanta a saia” (a partir do [sic] livro de Christian [sic] Bard Ce que soulève la jupe). Depois das críticas dos opositores, o Ministério da Educação francês – que apoia a iniciativa – esclareceu que não foi pedido aos alunos do sexo masculino que fossem de saia» («Todos de saia contra o sexismo», Diário de Notícias, 16.05.2014, p. 29).

      Leiam o que se diz a propósito no Libération: «Lancée notamment par le Figaro, la polémique autour de “Ce que soulève la jupe”, une journée contre le sexisme organisée par des lycéens de l’académie de Nantes, continue. Près de 200 sympathisants de la Manif pour tous se sont rassemblés ce jeudi après-midi pour protester contre sa tenue, vendredi. Avec, face à eux, de nombreux lycéens criant “fachos dehors”.» É o nosso facho (que por sugestão minha foi registado no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora).

 

[Texto 4581] 

Helder Guégués às 20:20 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

Léxico: «lavra de arroz»

Anotemos

 

 

  «Para o local foram elementos da GNR e dos Bombeiros Voluntários de Alcácer do Sal. O comandante dos Bombeiros, Valdemar Gonçalves, adiantou que o piloto foi “forçado a uma aterragem de emergência e fê-lo numa lavra de arroz porque achou que tinha condições”» («Casal sofre ferimentos em avioneta que cai no [sic] arrozal», Rute Coelho, Diário de Notícias, 16.05.2014, p. 22).

 

[Texto 4580]

Helder Guégués às 20:17 | comentar | favorito
Etiquetas:

Ortografia: «tchim-tchim»

À nossa

 

 

   «Em 1936, a três dias de ganhar o segundo mandato, Roosevelt, o presidente que regulou o sistema bancário que causara a Grande Depressão de 1929 e ergueu a América da miséria com o New Deal, disse: “Sabemos agora que o governo pelo dinheiro organizado é tão perigoso como o governo da máfia.” Setenta e oito anos depois, o dinheiro organizado brinda à vitória. E os servos, alvares, emulam-no» («Tchin tchin», Fernanda Câncio, Diário de Notícias, 16.05.2014, p. 7).

   Podemos festejar, mas não é assim que se escreve. É tchim-tchim, ou, vá, tchim, tchim.

 

[Texto 4579]

Helder Guégués às 16:21 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:

Era para o revisor

Algum cuidado

 

 

      «As crianças transformavam uma ópera trágica numa ópera buffa e tornavam necessário pelo menos mais um acto, para o qual faltavam a Treslove tanto a energia como a imaginação» (A Questão Finkler, Howard Jacobson. Tradução de Alcinda Marinho. Porto: Porto Editora, 2011, 2.ª ed., p. 111).

      Qualquer leitor pode então perguntar porque não opera buffa ou ópera bufa, e com razão. No original não está comic opera, mas opera buffa, logo, opera buffa ficará. Também podem dizer que nada disto tem importância, e nesse caso, não apenas não têm razão, como estão no blogue errado.

 

[Texto 4578]

Helder Guégués às 11:31 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
16
Mai 14

Tradução: «citizen’s arrest»

Muito bem

 

 

      «Algures nas profundezas da sua mente desordenada estava também a formar-se a resolução de a agarrar, mal ela mostrasse a cara, e efectuar uma detenção civil [citizen’s arrest]» (A Questão Finkler, Howard Jacobson. Tradução de Alcinda Marinho. Porto: Porto Editora, 2011, 2.ª ed., p. 105).

    Está bem traduzido, sim, e temo-la no nosso ordenamento jurídico: está estatuída no artigo 255.º, n.º 1, b), do Código de Processo Penal, só para flagrante delito, evidentemente.

 

[Texto 4577]

Helder Guégués às 09:39 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: