08
Jun 14

Tradução: «vegetables»

Bons tempos

 

 

   «Comprou aqui uma casa com seis jeiras de terra, plantou nesta um sortido de úteis hortaliças e ergueu uma espécie de estufa [summer-house], onde tencionava ele próprio conservar-se, quentinho, horas a fio, agarrado ao cachimbo, ou, melhor, uma dúzia de cachimbos, atafulhados de forte tabaco do Canadá» (Os Mercadores de Peles, Robert Ballantyne. Tradução de José da Natividade Gaspar. Lisboa: Portugália Editora, [1960], p. 14).

  Bons tempos aqueles, em que as hortaliças ainda eram hortaliças. Agora, para quase todos os tradutores portugueses, são «vegetais».

 

[Texto 4691]

Helder Guégués às 19:17 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas:

Tradução: «body»

Nem por sombras

 

 

      «Não se fala sobre ciúmes sexuais – não se fala, se tivermos um pouco de tacto ou discrição no organismo, seja do que for de teor sexual com um velho que recentemente perdeu a mulher por quem estivera apaixonado a vida inteira» (A Questão Finkler, Howard Jacobson. Tradução de Alcinda Marinho. Porto: Porto Editora, 2011, 2.ª ed., p. 341).

   No original está body, pois está, que significa muito mais do que à primeira vista parece. Aqui, não é «corpo» nem «organismo».

 

[Texto 4690]

Helder Guégués às 16:42 | comentar | favorito
Etiquetas:

Ortografia: «colorrectal»

Ai sim? Veja no dicionário

 

 

   «O cancro do intestino também se designa colo-rectal ou, simplesmente, cancro do cólon. Inicia-se quando as células no revestimento do cólon se multiplicam com demasiada rapidez, e não conseguem morrer» (A Verdade Sobre os Alimentos, Jill Fullerton-Smith. Tradução de Maria Georgina Segurado. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2008, 2.ª ed., p. 36).

      O cancro, seja de que tipo for, já é algo suficientemente mau, mas com um erro ortográfico, isto piora.

 

[Texto 4689]

Helder Guégués às 16:00 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «estamento»

Incongruências

 

 

   «Será además el último gran acto castrense que presidirá Don Juan Carlos, su despedida del estamento militar» («El Rey se despide de los militares en el día de las Fuerzas Armadas», Fernando Lázaro, El Mundo, 7.06.2014, p. 8).

   Também temos — fomos buscá-la ao castelhano. Contudo, se está no Dicionário de Espanhol-Português da Porto Editora, não a encontramos no Dicionário da Língua Portuguesa da mesma editora. Incongruências.

 

[Texto 4688]

Helder Guégués às 14:27 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Tradução: «testamentaría»

Não nesta acepção

 

 

  «Se usa como cetro, pero ese no era el objetivo inicial porque en realidad es un bastón de mando, símbolo del capitán general de los Ejércitos, tal y como se documenta en la testamentaría de Carlos II» («La corona y el cetro, las joyas de la proclamación de Felipe VI como Rey», El Mundo, 7.06.2014, p. 9).

    Tem muito mais acepções do que a nossa «testamentaria». Neste caso  concreto, é o conjunto de documentos e papéis que dizem respeito ao devido cumprimento da vontade do testador.

 

[Texto 4687]

Helder Guégués às 14:24 | comentar | favorito
08
Jun 14

Tradução: «facherío»

Em nenhum

 

 

     «Érase un actor a un bigote encasillado, un mostacho de homofobias, racismo y facherío poblando un alma buena, un humor de combate en vomitona» («“El tirí-tirí-tirí’ es el himno nacional”», Rafael J. Álvarez, El Mundo, 7.06.2014, p. 68).

     Não está no dicionário da Real Academia Espanhola nem no Dicionário de Espanhol-Português da Porto Editora. Pues, amigos, facherío es el conjunto de la gente de derechas. É a nossa facharia — que também ainda não mereceu acolhimento em nenhum dicionário.

 

[Texto 4686]

Helder Guégués às 10:33 | comentar | favorito
Etiquetas: