01
Jul 14

Tradução avariada

O mundo seria mais acolhedor

 

 

      «Il faut donc accepter d’être patient.» Muito simples, mas por vezes os tradutores fazem o impensável: «É preciso aceitar o facto de ter de ser paciente.» Alguns são assim: onde mexem estragam. Dava jeito haver providências cautelares que os obrigassem a manterem-se afastados dos livros. Mexiam, sim, mas só em livros já à venda.

 

[Texto 4791]

Helder Guégués às 22:57 | comentar | favorito
Etiquetas:

Tradução: «prise en charge»

Podem precisar

 

 

   A expressão francesa prise en charge pode significar e, por consequência, traduzir-se de diferentes maneiras, consoante o contexto. Só é preciso que os tradutores percebam isto — e não a traduzam sempre da mesma maneira, sobretudo se for errada.

 

[Texto 4790]

Helder Guégués às 18:52 | comentar | favorito
Etiquetas:

«Estirpe bacteriana»

Para prevenir

 

 

      Pelo menos nos dicionários gerais da língua portuguesa, a definição de «estirpe» precisa urgentemente de ser revista. Os dicionários bilingues também precisam de ver acrescentada a acepção mais usada. Vem isto a propósito do desconhecimento generalizado do significado de «estirpe bacteriana» (bacterial strain, para a legião de anglófonos que nos segue). Hoje, na verdade, também é conveniente acrescentar que em francês se diz souche bactérienne. Eis aqui uma explicação em inglês: «If a species of bacteria is isolated and cultivated in the laboratory it is known as a strain and is assumed to be different from other strains of the same species unless we can prove it is identical. These strains are often given distinguishing numbers or acronyms. For example we have Streptococcus mutans LT11, Streptococcus sanguis NCTC 7863 etc etc. Think of these strain names as personal names (Streptococcus mutans Fred Bloggs) and you will have it about right.»

 

[Texto 4789] 

Helder Guégués às 18:50 | comentar | favorito

Léxico: «prebiótico»

E por isso...

 

 

      Mais uma falha: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista «probiótico», mas não «prebiótico». Ora, isto, que muito facilmente se resolve, só pode contribuir para haver ainda mais confusões, numa terra onde já há muitas.

 

[Texto 4788]

Helder Guégués às 15:53 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Tradução: «mental»

Se fosse tão fácil

 

 

      Traduzir a palavra francesa mental por «mental» — claro que sim, desde que este «mental» não seja na acepção de conjunto de faculdades psíquicas. Ora aí está uma solução, mas não, decerto, para todos os casos: traduzir por «conjunto de faculdades psíquicas». O ideal, porém, é traduzir apenas por uma palavra, mas qual? Por «psique»?

 

[Texto 4787]

Helder Guégués às 10:50 | comentar | ver comentários (9) | favorito
Etiquetas:
01
Jul 14

Topónimos aportuguesados

Contracorrente

 

 

        «Allen Richard Grossman nasceu em 1932, em Mineápolis, Minesota. Estudou na Universidade de Harvard, entre 1949 e 1956 (com algumas interrupções), e, posteriormente, na Universidade de Brandeis (até 1960), na qual foi professor até 1991» («O ‘poeta de um poeta’, erudito, crítico e professor americano», Diário de Notícias, 1.07.2014, p. 37).

 

[Texto 4786]

Helder Guégués às 09:51 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: