01
Ago 14

A antiga grafia

Quão antiga?

 

 

      Como acabei de ler o verbo aqui num texto, lembrei-me: numa edição recente da revista Correio da Manhã TV (de 11 a 17.06), no cartune de António Maia, estão duas personagens a atirar moedas para um lago. Uma diz: «Eu peço pelo Seguro. Logo, prometo repôr as pensões!» Diz a outra: «Isso não vale!!! Eu, pelo Costa, tenho que repor estalagens e hotéis?!!....» Quatro pontos! E «repor» escrito de duas maneiras, uma certa e outra errada. Mas, no canto inferior direito, o dístico honroso: «Texto escrito com a antiga grafia».

 

 [Texto 4896] 

Helder Guégués às 23:01 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «lignana»

Não têm de quê

 

 

     Os tradutores e os revisores hão-de gostar de saber, imagino, que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora já regista, por sugestão minha, o vocábulo lignana: «substância fenólica, com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, existente em plantas como a linhaça, o gergelim ou o grão-de-bico, e que, depois de consumida, consegue ligar-se ao receptores de estrogénio nas células».

 

 [Texto 4895]

Helder Guégués às 22:48 | comentar | favorito
Etiquetas:

Tradução: «rump session»

Pouco e mal frequentada

 

 

    Rump session. No Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora lê-se isto: «(de grupo, organização, etc.) restos; vestígios». Talvez por isso, o tradutor verteu para «sessão pouco frequentada». Mas os dicionários de língua inglesa definem-na como «a meeting held after a larger meeting». Neste Glossario per Meeting e Congressi, vemos a tradução em mais cinco línguas: sessione supplementare, séance complémentaire, Anschluss-Sitzung, sesión complementaria e sessão complementar.

 

 [Texto 4894]

Helder Guégués às 07:30 | comentar | favorito
Etiquetas:
01
Ago 14

Tradução: «robber baron»

Pelos vistos não é

 

 

      Por vezes, como devia ser óbvio, a tradução tem de ser literal, ou perde-se todo o sentido. Imaginem que no original está uma referência aos robber barons. Não podemos traduzir por «barões medievais», porque essa é a definição dos dicionários. Como no Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora: «barão dos tempos medievais que conseguia dinheiro lançando impostos exorbitantes». São mesmo (leiam aqui) barões ladrões. A não ser assim, o leitor não apreenderá o conceito.

 

 [Texto 4893]

Helder Guégués às 00:38 | comentar | favorito
Etiquetas: