04
Ago 14

De «pousa-copos» a «lobitango»

Isto também falta

 

 

      Devíamos pedir a Teodoro (cá está: um nome português) Obiang que nos financiasse um bom dicionário da lusofonia. Por momentos, pensei que «lobitango» estivesse nos nossos dicionários. Nada. Nem, aliás, palavras mais corriqueiras: pousa-copos, por exemplo, só nas lojas. Até o Sr. Ingvar Kamprad há-de conhecer a palavra.

 

[Texto 4902]

 

Helder Guégués às 23:22 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas:

Descontando a hipérbole e um certo desconhecimento

O que nos falta

 

 

      «Desde 1976 nenhum Governo se ocupou seriamente da defesa da língua. O Dicionário da Academia de Ciências não passa de uma triste imitação do Oxford Shorter, não há uma gramática decente e acessível ao leigo ou um Thesaurus ou sequer, com as confusões do Acordo, um prontuário ortográfico decente e fiável. Também não há uma edição completa e crítica dos “clássicos” reconhecidos, nem a investigação universitária redescobriu a literatura do século XVI ao século XIX, que merecia outra sorte. Em matéria de língua, os Governos ficaram entre a ignorância e o desdém. Ou seja, abandonaram o principal interesse de Portugal e um dos seus melhores meios de influência» («Merecidos vexames», Vasco Pulido Valente, Público, 26.07.2014, p. 48).

 

[Texto 4901]

Helder Guégués às 13:39 | comentar | ver comentários (3) | favorito
04
Ago 14

Léxico: «alfa-sinucleína»

Nem rasto

 

 

    «Uma equipa internacional de cientistas, liderada pelo português Tiago Fleming Outeiro, constatou que duas proteínas, associadas à doença de Parkinson, interagem e reagem a mutações genéticas, uma “chave” que pode abrir portas a possíveis tratamentos contra a patologia. As proteínas em questão são a DJ-1 e a alfa-sinucleína. Sabe-se que alterações nos genes que codificam estas proteínas estão na origem de formas familiares da doença» («Avanço no tratamento de Parkinson», Diário de Notícias, 4.08.2014, p. 23).

   Alfa-sinucleína. Nos dicionários, nem rasto. É uma proteína nuclear com 140 aminoácidos e massa molecular de 14 kDa, presente nos terminais pré-sinápticos e na mitocôndria.

 

[Texto 4900]

Helder Guégués às 09:59 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: