23
Ago 14

Há molhos e molhos

Em vão (ou são paveias)

 

 

   «Ou então compras o frango assado partido aos bocadinhos e levas para casa com dois molhos que os próprios donos da casa [Franguini] inventaram, um com alho e não sei quê, outro com iogurte e não sei quanto, outro com picante e tal» (Pedro Rolo Duarte, Hotel Babilónia, 23.08.2014).

  Para Pedro Rolo Duarte, estes molhos, que são preparados culinários de consistência cremosa, não se distinguem foneticamente dos outros, das paveias. Quase toda a gente sabe, e o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora até avisa no respectivo verbete: «NOTA O plural pronuncia-se com vogal fechada: molhos /ô/.»

 

[Texto 4971]

Helder Guégués às 15:50 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas:

«Bulício/buliço»

Aos pares

 

 

      «Garante que não sente falta do buliço da cidade. Cresceu em Lisboa e também viveu em Torres Vedras e não se queixa de falta de movimento na Rua da Fonte do Cabo, no centro histórico» («Abrandaram o ritmo e foram viver para a Ericeira», Lina Santos, Diário de Notícias, 20.08.2014, p. 38).

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora esqueceu-se desta variante de «bulício».

 

[Texto 4970]

Helder Guégués às 07:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas:
23
Ago 14

Big Ben

O sino, não o relógio

 

 

      «Na segunda-feira, um dos relógios da famosa torre onde está alojado o Big Ben, em Londres, esteve estrategicamente parado ao meio-dia, durante várias horas, para permitir a quatro operários iniciar a sua manutenção sem serem atrapalhados. Durante esta semana, cada face da torre passará por uma limpeza profunda e cuidada por uma equipa de quatro especialistas, que realizam a operação pendurados em cordas. No entanto, o sino de 16 toneladas, o Big Ben, continuará a dar as badaladas, pelo que os trabalhadores vão ter de utilizar equipamento de proteção acústica. Ao mesmo tempo, relojoeiros trabalham dentro do relógio. Se tudo correr como planeado, o relógio ficará perfeito durante outros 150 anos e, no final desta semana, os ponteiros voltarão a marcar as horas certas. Desde que foi inaugurado, em 1859, esta é a primeira vez que se procedem [sic] às limpezas dos relógios da Clock Tower que, desde 2012, passou a ser apelidada de Elizabeth Tower por ocasião dos 60 anos do reinado de Isabel II. A estrutura, de grande prestígio no Reino Unido e no mundo, está alojada a 95 metros de altura, num extremo do Palácio de Westminster, e é composta, em cada face, por 312 painéis de vidro opalino emoldurados com ferro fundido» («Ponteiros do Big Ben parados por uns dias para limpeza», Diário de Notícias, 20.08.2014, p. 20).

 

[Texto 4969] 

Helder Guégués às 07:34 | comentar | favorito
Etiquetas: