30
Ago 14

Sempre o plural

Até custa a dizer

 

 

   «Isto conta-nos o padre Rufino Xavier, entre as casas de xisto das ruas desta aldeia transmontana, mostrando-nos outro negócio da família, o turismo rural — a taberna será também gerida pelos Xavier. Aos 38 anos, Rufino, reitor do Seminário de S. José em Bragança, não tem pudor em admitir que gosta do negócio» («“Se é preciso fazer alguma coisa, fazemos todos”», Joana Gorjão Henriques, Público, 23.08.2014, p. 8).

   Mas Camilo e qualquer pessoa com os pés assentes na terra e a cabeça nos ombros: «Ora, os Xavieres de sua avó materna eram sangue puro, sem glóbulo de mouro ou judeu» (in A Caveira da Mártir).

 

[Texto 4984]

Helder Guégués às 21:46 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Raças de cães

Cães, não deuses

 

 

   «A popularidade das raças designadas braquicefálicas (animais com focinho muito curto), como o Bulldog Francês, o Pug ou o Shih Tzu, “tem aumentado imenso em todos os países europeus” e tornado o tipo de cirurgias acima descritas mais comuns. É que a selecção propositada de certas características que agradavam esteticamente aos criadores revelaram ter graves “repercussões a nível de [sic] saúde animal”» («Cirurgias estéticas caninas estão a aumentar, para corrigir erros dos homens», Mariana Correia Pinto, Público, 22.08.2014, p. 12).

    Não é assim, cara Mariana Correia Pinto, que se grafam os nomes das raças de cães. E vejo agora que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora já regista, por sugestão minha, «braquicefálico»; antes, só registava «braquicefalia».

 

[Texto 4983] 

Helder Guégués às 20:45 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
30
Ago 14

«Contenção/contensão»

São sinónimos

 

 

  «Seja pela forçada contensão, ou pelo espírito de luta evidenciado, esse, claramente!,
 o romance [Podem Chamar-me Eurídice...] capta o leitor: são
 as lutas estudantis antifascistas que muitos de nós vivemos, dadas mais no seu ambiente interior (anímico, e de tarefas clandestinas) que exterior,
 e Lisboa surge como cidade manietada, a que a chuva ténue dá certo brilho mas dificultando a acção comum» («Podem chamar-me Eurídice...», Maria Alzira Seixo, Público, 20.08.2014, p. 39).

 

[Texto 4982]

Helder Guégués às 05:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: