17
Out 14

«Sobre/sob», outra vez

Português miserável

 

    Em inglês, aposto, não errariam: under his responsability. Em português, falham miseravelmente: «tarefas que estão sobre a sua responsabilidade». Porra, não mandam uma para a caixa.

 

[Texto 5160]

Helder Guégués às 20:18 | comentar | favorito
Etiquetas:

O que o acrónimo esconde

Ande lá com cuidado

 

  «Manuel António Pereira, presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), confirma que “existe a possibilidade de algumas escolas” encurtarem as férias escolares dos alunos para lhes garantirem as aulas de recuperação. No entanto, defende também que “podem ser encontradas outras soluções que permitam evitar interferir com o período de descanso dos alunos. Em muitos casos será possível encontrar as soluções dentro dos seus horários”, diz» («Pais propõem férias mais curtas para alunos recuperarem matérias», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 16.10.2014, p. 10).

   Isto é mais a propósito: Manuel António Pereira é presidente da ANDE, sem dúvida, mas esta é a Associação Nacional de Dirigentes Escolares.

 

[Texto 5159]

Helder Guégués às 20:03 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Reunir-se com»

Acertos e desacertos

 

    «O presidente da ANDE foi um dos diretores de escolas TEIP (prioritárias) e com contrato de autonomia que ontem reuniram com os secretários de Estado João Grancho e João Casanova de Almeida. E do encontro saiu “abertura” da tutela para permitir soluções como a “contratação temporária de professores” ou o “pagamento de horas extraordinárias” aos titulares de turma, casos [sic] estes manifestem essa disponibilidade. No Estado, recorde-se, as horas extras são pagas a 25%, na primeira hora, e a 37,7% nas seguintes» («Pais propõem férias mais curtas para alunos recuperarem matérias», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 16.10.2014, p. 10).

   «Horas extras» — perfeito; «reuniram com» — errado. O verbo «reunir», no sentido em que foi usado, conjuga-se pronominalmente, «reunir-se». Posso reunir pessoas, porcos e pedras, mas, se me junto às pessoas, reúno-me com elas.

    (A propósito — ou não, já me dirão —, de manhã ouvi na Antena 1 que o vencedor do Prémio Leya de Literatura era bisneto de Eça de Queirós; mas já li que era trineto e mesmo tetraneto; quem reflecte um pouco mais, prefere afirmar que é descendente daquele escritor.)

 

[Texto 5158]

Helder Guégués às 19:47 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
17
Out 14

Ortografia: «maldisfarçado»

E ainda lhes pagam

 

      «Na falsa solicitude daquelas pessoas, no seu maldisfarçado desdém, viu o futuro que escolhera quando estava na água. Era um futuro de lar de velhos e fê-lo chorar» (Correcções, Jonathan Franzen. Tradução de Fernanda Pinto Rodrigues. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2010, 2.ª ed., p. 421).

   E está muito bem. Quando se usa este elemento de formação de palavras, quase na maioria das vezes a coisa corre mal: ou separam (!) as palavras ou acrescentam um hífen. Claro que há sempre erros maiores. Acabei de ler um texto em que se fala da necessidade de «recuperar centros urbanos que cresceram desmesura e desordenadamente».

 

[Texto 5157] 

Helder Guégués às 17:32 | comentar | favorito
Etiquetas: