01
Mar 15

Léxico: «abafar»

Conheciam esta acepção?

 

      «Já consegue falar sobre o assunto sem pestanejar. Passava pouco das 8 da manhã. O carro abafou em Ermesinde, na A4. “Saí. Dirigi-me à traseira para colocar o triângulo. Fui atropelada. Estive 18 dias em coma. Quando acordei, não tinha uma perna.”» («Amputados precisam de alguém que lhes diga que o mundo não acabou», Ana Cristina Pereira, Público, 1.03.2015, p. 12).

 

[Texto 5616] 

Helder Guégués às 10:37 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
01
Mar 15

«Excusatio non petita...»

...«accusatio manifesta»

 

      Tenho de passar a seguir as coisas do futebol com mais frequência, pois agora os treinadores até já usam adágios latinos — só um pouco errados: «“Eu não falei das arbitragens. Estão confundidos. Falei de azar, nada mais. E não me dirigi a nenhuma equipa, mas apenas uma respondeu”, disse Julen Lopetegui, antes de soltar a expressão latina “Excusatio non petita, culpabilita manifesta”, que pode traduzir-se como “quem se desculpa sem ter sido acusado, culpabiliza-se”.

      Só que a expressão não é a correcta, embora o seu sentido seja. O que Lopetegui deveria ter dito seria: “Excusatio non petita, accusatio manifesta”» (in Público).

      A emenda está certa. Estamos habituados a ver o latim estropiado, sobretudo por incompetência dos jornalistas, mas desta vez algum teve discernimento para ir comprovar.

 

[Texto 5615]

Helder Guégués às 10:11 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,