06
Jun 15

Adeus, vocativo

Já não chamas

 

      O título é O Que Acontece dentro do Meu Estômago?, da colecção «Sid Ciências», a autora é Daniela Silva, e anda desde 2014 a fazer estragos na gramática. Quatro exemplos, mas se quisesse dava oito: «- Bom dia meninos! Vamos para a sala. - disse a professora.» «- Até amanhã professora! - disseram em conjunto.» «- Estou aqui avó! - disse o Sid, a correr para os braços da avó.» «- Ótima pergunta Geraldo!»

     E eu que pensava que a Science4you, que publicou o livro, era garantia de qualidade. É mais uma manifestação do princípio de Peter.

 

[Texto 5947]

Helder Guégués às 13:47 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Bipartidismo/bipartidarismo», de novo

Assim nota-se muito

 

      «Se não houver outro “Jesus” ou “Blatter” na próxima semana,
 o bipartidarismo será muito provavelmente o tema emergente. O bipartidarismo à portuguesa não quer dizer dois partidos, mas sim uma coligação e um partido. E tal não acontece por via de votos, mas sim de notícias que se tornam temas. A análise mostra que apenas as notícias sobre a coligação, o PS e os seus programas têm capacidade para serem temas de destaque. Em pré-campanha, a probabilidade de notícias sobre PCP, BE, Livre ou PDR serem tema é muito pequena. Tudo o que é política nesta fase do ano é arrastada para um bipartidarismo, mesmo as presidenciais, sistematicamente parte das notícias sobre PSD-CDS ou PS» («Bipartidismo», G. C., Público, 6.06.2015, p. 8).

      No título e na legenda de uma foto, «bipartidismo»; no corpo do artigo, três vezes «bipartidarismo». Podem querer, só lhes fica bem, afinar conceitos e modos de expressão, mas não num curto artigo. Já vimos a questão aqui.

 

[Texto 5946]

Helder Guégués às 12:41 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
06
Jun 15

Eis outro «heis»

Verbo por advérbio

 

      «Se ainda não está convencido, heis outra inovação espantosa, o uso de um painel de instrumentos totalmente digital […]» («O desportivo que veio do futuro», Gustavo Dias, PC Guia, Junho de 2015, p. 62).

      É também do futuro, ou de um passado mal entendido, como já aqui vimos, que veio este «heis», não é assim, Gustavo Dias? Com este Audi TT TDI Ultra, vai longe na ortografia.

 

[Texto 5945]

Helder Guégués às 08:54 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,