12
Jun 15

Expressão: «troca por troca»

Pode não ser

 

      O consulente queria saber se existia e o que significava a expressão «troca por troca». Mas sem contexto? Podemos não acertar. E não seria mais adequado usarem-se abonações reais, literárias ou outras, em vez de exemplos inventados mesmo que respigados em dicionários? Dois casos diferentes. O senhor doutor, o patrão, troca o nome da criada, chamando-lhe Jacinta. A criada diz-lhe que se chama Fátima, e o senhor doutor, que começa por pedir desculpa, afirma que associou aos pastorinhos e pergunta se a troca do nome a enxovalha. «– Não, senhor doutor. Mas troca por troca preferia ser a Lúcia!» É uma situação do romance A Menina É Filha de Quem?, de Rita Ferro (Alfragide: Publicações Dom Quixote, 2011). Não é, obviamente, a nossa expressão; melhor, nem sequer é uma expressão, e, contudo, tem todas as mesmas palavras e letrinhas. Agora a nossa expressão: «Tudo se fará troca por troca; os alfaiates darão as calças de graça e receberão de graça os sapatos e os chapéus» (A Semana: 1895-1900. Machado de Assis. Rio de Janeiro: W. M. Jackson, 1959).

 

[Texto 5969]

Helder Guégués às 22:47 | comentar | favorito
Etiquetas:
12
Jun 15

Tradução: «overwhelmed»

Mais simples

 

      «“Estamos assoberbados e agradecidos por este prémio. A inovação é o fulcral para o desenvolvimento de uma sociedade, mas só funciona se tiver aplicação prática”, disse Ian Frazer. Num emocionado discurso, a viúva de Jian Zhou confessou que o troféu a deixou com “sentimentos contraditórios”: “Entristece-me muito o facto de ele já não estar aqui para ser reconhecido pelo seu trabalho”» («Prémio Europeu do Inventor distingue vacina e partilha de dados sem fios», Ana Rute Silva, Público, 12.06.2015, p. 20).

    «Assoberbado» será mesmo a melhor tradução de overwhelmed, neste contexto? «Entristece-me muito o facto»? Acha que precisa do «facto», Ana Rute Silva? Em inglês, é tão simples quanto isto: «It deeply saddens me that Jian can’t be here.» Em português, pode ser igualmente simples. Veja se Luísa Costa Gomes precisou de «factos»: «Vejo nas suas cartas a preocupação amiga e entristece-me que o Leonardo diga tanto mal de si» (O Pequeno Mundo, Luísa Costa Gomes. Lisboa: Assírio & Alvim, 2002, p. 166).

 

[Texto 5968]

Helder Guégués às 20:51 | comentar | favorito
Etiquetas: ,