«Faetonte/fáeton»

Quanto mais próximo, melhor

 

      Último exemplo, porque já toda a gente percebeu. Deonísio da Silva, na sua obra De onde Vêm as Palavras, diz, a propósito de fáeton, proveniente do inglês phaeton (e esta tirada do francês phaéton), que «um dos maiores escritores portugueses, Eça de Queirós, utiliza o vocábulo» nos Maias. Se Deonísio da Silva tivesse lido a obra apenas pela edição fixada por Helena Cidade Moura para os Livros do Brasil, não encontraria um único fáeton, mas só faetontes. Que justifica este afastamento do original? Não seria muito mais natural que de phaeton, que é a palavra usada por Eça, Helena Cidade Moura chegasse a fáeton?

 

[Texto 6041]

Helder Guégués às 14:21 | comentar | favorito
Etiquetas: