01
Ago 15

Léxico: «meningogástrico»

Extinguiu-se

 

   «As enfermidades predominantes naquele foco insalubre são a caquexia, a febre meningogástrica, o tifo, a pneumonia aguda, os tubérculos e a tísica pulmonar.» Isto escreveu Ramalho Ortigão numa das Farpas (Lisboa: Livraria Clássica Editora, Vol. 12, p. 82). Entretanto, mais de um século depois, alguns dicionários — entre os quais os da Porto Editora — já não registam o adjectivo meningogástrico. Porquê?

 

[Texto 6111]

Helder Guégués às 19:41 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cachena»

Em risco de extinção

 

      «Vaca cachena. É a mais pequena raça bovina portuguesa (cerca de um metro de altura) e uma das mais pequenas do mundo. O seu leite serve para fazer queijos típicos de Arcos de Valdevez» («Em risco de extinção», Luís Silvestre, Sábado, 23.07.2015, p. 45).

      Mais uma que não encontramos nos dicionários. Este artigo, como trata precisamente do que está em risco de extinção, fala de variedades quase desconhecidas (sigo a grafia do artigo): abóbora-cobra, trigo-javardo, milho apatalado, repolho de Cousso, rábano rosa, melão rugoso de Colos, tomate de viagem, maçã camoesa quingosta, maçã S. Tiago, riscadinha de Palmela, malápio, espriega, marmela, olho-aberto, porta-da-loja, pipo de Basto, verdinha de Vila Real, Celolã, laranja templária, feijão-frade vaca velha, fava roxa, tomate-ferrugem, cenoura-pau roxo, tomate-perdigão amarelo, pimento-diabo, melão-marmelinho, pepino-sampaio, feijão vermelho das Furnas, figo pincarudo, laranja branca, pêssego-preto de Sarnadas, pêra de cozer, etc.

 

[Texto 6110]

Helder Guégués às 13:53 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Sanjoanino/são-joanino»

Mais uma dupla grafia

 

      «Foi precisamente uma maçã que esteve na origem da família de António Strech. Tudo começou quando a sua bisavó, Maria José, se apaixonou pelo vizinho, um jovem notário chamado Justino Ribeiro, e lhe ofereceu uma dessas maçãs — as sanjoaninas (porque colhidas na altura da festa de S. João) —, as primeiras do ano a surgirem no quintal dos pais no fim de Junho» («Em risco de extinção», Luís Silvestre, Sábado, 23.07.2015, p. 44).

 

[Texto 6109]

Helder Guégués às 13:38 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Politics/policies»

É o que temos

 

      «Na nossa língua, usamos a mesma palavra – política – para significar dois conceitos distintos: a política como a expressão global de ideias e de exercício de alguma forma de poder (os ingleses chamam-lhe “politics”); e as políticas entendidas como o modo de dirigir áreas ou sectores do Estado ou de outra instância política, como, por exemplo, política social, educativa, monetária, europeia, agrícola ou económica (os ingleses chamam-lhe “policies”)» («A propósito das eleições», António Bagão Félix, Público, 1.08.2015, p. 42).

 

[Texto 6108]

Helder Guégués às 12:31 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«No sentido sul-norte»

Algum desnorte

 

      «O destacamento de trânsito de Setúbal da GNR apanhou ontem de madrugada seis condutores a fazer corridas em excesso de velocidade entre Almada e o Fogueteiro, na A2, sentido Sul-Norte» («Seis condutores apanhados em corrida ilegal na A2,
 um deles a 243km/hora», Ana Henriques, Público, 1.08.2015, p. 7).

    Ana Henriques, se conhecesse o livro de estilo do seu jornal, não escrevia dessa maneira. Quando designam direcções, os nomes dos pontos cardeais e dos pontos colaterais grafam-se com minúscula inicial.

 

[Texto 6107]

Helder Guégués às 12:07 | comentar | ver comentários (2) | favorito

Léxico: «hotte»

Equipamento de laboratório

 

      «Segundo a tutela, para o laboratório ficar operacional nas novas instalações “será necessário adquirir mais equipamento dedicado para a realização de estudos laboratoriais, hottes [máquinas de extracção de gases e outros subprodutos], o qual tem especificações técnicas que implicam executar tubagens dedicadas, que por sua vez têm de ser interligadas com o sistema de gestão técnica do edifício”» («Laboratório na velha casa e sem data para mudança», Ana Henriques, Público, 1.08.2015, p. 9).

      Alguém — esperemos que não a própria jornalista, porque nesse caso o uso dos colchetes não era adequado — quis explicar o que era uma hotte. Não se fica a perceber muito bem. Já todos vimos na televisão: é uma cabina fechada por todos os lados, com sistemas de ventilação, que permite, através de uma ou duas aberturas frontais, manipular objectos sem correr demasiados riscos. O Dicionário de Francês-Português da Porto Editora diz que é o «pano da chaminé»; a hotte aspirante faz equivaler o nosso «exaustor».

 

[Texto 6106]

Helder Guégués às 11:44 | comentar | ver comentários (7) | favorito
Etiquetas: ,
01
Ago 15

Léxico: «flaperon»

Só a descolagem?

 

      «Mas só o fabricante poderá confirmar que o flaperon encontrado — parte da asa usada para gerir a descolagem e que funciona também como leme — pertence efectivamente ao avião desaparecido em 2014, como ressalvou o vice-ministro malaio» («Destroço encontrado na ilha da Reunião
 é mesmo de um 777», João Manuel Rocha, Público, 1.08.2015, p. 22).

   Quase certo: os flaperons são accionados pelos pilotos nas descolagens e nas aterragens.

 

[Texto 6105]

Helder Guégués às 11:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,