Nova definição de «quilograma»

Mas eu aviso já

 

      «O quilo é hoje a única unidade do sistema métrico internacional que ainda se rege por um objecto físico — ao contrário das unidades de tempo, distância ou temperatura, por exemplo, que são definidas por fenómenos naturais extremamente estáveis. E há décadas que os especialistas de metrologia tentam substituir a definição do quilo por outra, derivada de propriedades naturais estáveis e independente de qualquer massa física real. […] Porquê substituir o quilograma-padrão? Porque a definição actual da massa coloca problemas de monta em termos de calibração dos milhões e milhões de balanças utilizadas pelo mundo fora. […] Os cientistas do mundo inteiro têm até 1 de Julho de 2017, lê-se na revista Nature, para afinar e publicar outros valores da constante de Planck. Se tudo correr bem, o “valor de consenso” da constante — e a nova definição do quilo — poderá ficar decidido na próxima Conferência Geral de Pesos e Medidas organizada pelo BIPM e programada para 2018» («Tudo a postos (em princípio) para redefinir o quilo em 2018», Ana Gerschenfeld, Público, 22.10.2015, p. 31).

      É impressionante! Não há nada imutável à face da Terra. Quem diria que a definição de «quilograma» ia um dia mudar? Ninguém, não mintam. Deixará, portanto, de ser a massa do protótipo, um cilindro de platina e irídio — hoje em dia guardado debaixo de três redomas num cofre do Gabinete Internacional de Pesos e Medidas (BIPM) em Sèvres, arredores de Paris —, para passar a ser... o quê? Ao que parece, o número de átomos contidos num cristal puro de silício de massa igual à do quilograma-padrão actual. Senhores lexicógrafos, ficam avisados.

 

[Texto 6346]

Helder Guégués às 00:01 | comentar | favorito