Léxico: «plano picado»

Ponto final

 

     «Na tradição francesa esse tipo de plano chama-se plongée — vem da ideia de mergulho. Faz com que os sujeitos das imagens pareçam pequenos e desprotegidos. Na teoria cinematográfica tradicional, é um mecanismo de criação de empatia. Quem observa cria um laço de afecto com aquilo que observa. No entanto, não olhamos nos olhos — não é uma relação entre iguais. Nesta estrutura, quem observa ganha dimensão, ou seja, fica em posição de domínio. Em português, diz-se “plano picado”. Só em inglês tem a designação com as implicações que interessam a Tatiana Macedo. Na tradição anglófona, a versão mais poética é “god’s eye view”. Em tradução livre, quer dizer “a perspectiva do olho de Deus”. E essa expressão enche-se de conotações críticas sobre a forma como cada um de nós se posiciona para observar o mundo» («Tatiana Macedo: o mundo olhos nos olhos», Vanessa Rato, Público, 23.12.2015, p. 28).

      Sempre a invejar e a achar mais adequadas palavras e expressões de outras línguas. Vejo agora que, com esta acepção, picado não está, por exemplo, no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, onde se registou, por sugestão minha, contrapicado. Mas esse tempo, em que fiz centenas de sugestões para este dicionário, já acabou, ninguém agradece nada. Estou farto de tudo, e do tudo de tudo, como escreveu o ajudante de guarda-livros.

 

[Texto 6498]

Helder Guégués às 08:36 | comentar | ver comentários (5) | favorito