Léxico: «coscorel»

Porque é Natal

 

      «Doces que as mãos mais experientes vão amassando, desta vez numa iniciativa pública do ciclo “Pinhel, museu à noite”, onde ficou a saber-se, por exemplo, que na aldeia do Manigoto, em vez de filhoses, há coscoréis» («As mesas de Natal em Pinhel têm tudo o que é hábito mais coscoréis e migas de chocolate», Jorge Esteves, Jornal da Tarde, RTP1, 23.12.2015). Pois é, mas, entretanto. de alguns dicionários — como do Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora — já a palavra desapareceu.

      «Nas ceias da consoada é uso e costume comerem-se diversos pratos e doces tradicionais: a galinha ou peru assados, o bacalhau ou o polvo cozidos, a carne de vinha-d’alhos ou as alheiras, os coscoréis ou os belhóses [sic], as rabanadas ou o bolo-rei» (Contos de Natal, Mário Braga. Lisboa: Escritor, 1995, p. 33). 

 

[Texto 6499]

Helder Guégués às 15:13 | comentar | ver comentários (1) | favorito