09
Jan 16

«Era espacial»

Não merece

 

   «Chamavam-lhe o costureiro da Era Espacial, pelas colecções de cortes limpos, formas simplificadas e blocos de cor que evocavam esse ideal da exploração do espaço, mas também, nos seus 60 de glória, o enfant terrible da alta-costura parisiense» («Morreu André Courrèges, o futurista da moda», Joana Amaral Cardoso, Público, 9.01.2016, p. 37).

    É certo que o livro de estilo do Público recomenda a maiúscula em eras, épocas ou séculos, mas o exemplo que dá, Idade Média, mostra bem que não se aplica a casos como era industrial, era nuclear, era espacial, etc., porque não são épocas históricas.

 

[Texto 6532]

Helder Guégués às 21:42 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
09
Jan 16

«Discurso redondo»

Só perguntas

 

      «Rebelo de Sousa teve que sair daquele papel de príncipe que recebe com bonomia os seus camponeses em dia de festa, para passar a discutir ideias. Agora passou a ser o homem que tem que defender o seu passado e quer ser presidente. Nóvoa teve que sair do seu discurso redondo. Agora, passou a ser o candidato que quer dar luta» («Marcelo Rebelo de Sousa versus Sampaio da Nóvoa», Francisco Louça, Público, 9.01.2016, p. 55).

      É impressão minha ou os dicionários não registam esta acepção de «redondo»? Nem sequer, aliás, a expressão «discurso redondo», o que, pela sua frequência de uso, devia acontecer. E, o que é mais, tanto a vejo usada com um sentido pejorativo como o contrário. É que «redondo» tanto pode dar a ideia de perfeição como de vazio. E qual das duas acepções coincide com o latino sermo rotundus?

 

[Texto 6531]

Helder Guégués às 10:52 | comentar | ver comentários (1) | favorito