Purgar e evacuar

Antes fossem

 

      «O ministro terminou com críticas à intervenção de Miguel Santos sobre Ana Escoval, lamentando a escolha da palavra “purga” com que o deputado se referiu às mudanças. “‘Purga’ é uma palavra deselegante. As pessoas não são purgáveis,” disse» («Ministro quer reduzir urgências em 10% para investir em centros de saúde», Romana Borja-Santos, Público, 21.01.2016, p. 10).

    Por felicidade, delas e nossa, não o são, mas são-no os ambientes onde elas estão, o que produz efeitos mais duradouros. Purgar, neste sentido, é como evacuar: os ambientes é que ficam purificados.

 

[Texto 6558]

Helder Guégués às 00:01 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: