Língua seccionada

Como queiram

 

      «Além destes temas, publicamos as habituais seções das segundas-feiras» («?Qué bola, Raul? Chineses ganham 400 mil por dia com a EDP. E chuva(s) e poesia», José Cardoso, Expresso Diário, n.º 526, 21.03.2016).

      Aos que me disserem que sempre se viram estes erros, respondo que sim, claro (muitos anos a lidar com gente problemática deixaram-me assim...). Que deve ser secção, com c sempre proferido em Portugal, creio que não há dúvidas. Ainda se chegará mais longe, que é precisamente, como já vaticinei há anos, a confusão, na oralidade, entre sessão/cessão e o novíssimo (e erradíssimo) *seção. E isto da pena de um profissional das letras, agora imagine-se com os que escrevem apenas no Facebook (e antes só escreviam SMS e liam apenas os talões do Multibanco). O castelhano também saiu um pouco maltratado: o primeiro ponto de interrogação é invertido, ¿, para o que basta, por exemplo, copiá-lo da Internet.

 

[Texto 6700]

Helder Guégués às 20:24 | comentar | favorito
Etiquetas: ,