29
Mar 16

Tradução: «champagne sabré»

Nunca se sabe

 

      O tradutor aventou, afoitamente, que fosse «champanhe desrolhado», mas é tudo menos, precisamente, isso. Champagne sabré é o champanhe aberto com um sabre, à boa maneira napoleónica. Claro que sempre se pode traduzir por meio da definição: champanhe aberto com sabre, porque não estou a ver que alguém queira traduzir por «campanhe sabreado». Ou estou?

 

[Texto 6717]

Helder Guégués às 16:21 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: ,
29
Mar 16

O que é o livre-arbítrio

A filosofia dos ditadores

 

      «Já o professor da Universidade Católica de Angola Nelson Pestana, e escritor sob o pseudónimo Eduardo Bonavena, considerou o desfecho do julgamento “completamente surpreendente pela violência” e por mostrar “o livre-arbítrio a que o regime chegou”, disse ao PÚBLICO. “Isto quer dizer que qualquer cidadão pode ser preso acusado de qualquer coisa e ser condenado a pena máxima no país”, denuncia Pestana. “Porque a qualquer momento se pode retirar ou acrescentar novas acusações. É o livre arbítrio completo”» («Condenação de activistas reforça ideia de que Angola “vive uma ditadura”», Ana Dias Cordeiro e Joana Gorjão Henriques, Público, 29.03.2016, p. 4).

      Ou eu já não sei nada, ou isto — que é retomado no editorial — está completamente errado. Então o livre-arbítrio não é a faculdade que o homem tem de se determinar sem obedecer a outra regra que não seja a da própria vontade? E isto é próprio dos ditadores ou de todos nós? Não quererão dizer «arbitrariedades»? Vamos perguntar a quem sabe — a Desidério Murcho.

 

[Texto 6716]

Helder Guégués às 10:20 | comentar | favorito
Etiquetas: ,