Doutor das Tascas

Mais português

 

      «Nottingham, Janeiro de 2014. Sérgio Pereira estava na cidade britânica no âmbito do seu mestrado em Comunicação de Ciência quando ouviu falar da ideia de dois jovens informáticos. Eles pensaram: será que os estudantes viriam apresentar ciência a um bar, se lhes pagássemos uma cerveja? A iniciativa aconteceu, Sérgio Pereira viu e quis replicá-la em Lisboa. Pensou em fazê-la em tascas, adaptando-a à portugalidade, mas acabou por assentar no Bibo Bar, no Bairro Alto» («PubhD. Vamos ao bar falar de ciência?», Mariana Correia Pinto, Público, 13.04.2016, p. 26).

    O nome da iniciativa — PubhD, de pub e PhD, a abreviatura em inglês para doutoramento — é que não foi adaptada à portugalidade. Raramente encontro esta palavra, outrora do agrado do Estado Novo. A Mocidade Portuguesa até tinha cursos de portugalidade. Agora desideologizada, já está em alguns dicionários. Contudo, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa desconhece-a. Mas quanto a PubhD... Aqui perto de mim está o Doutor dos Pneus; não muito longe do Califa está um Doutor dos Sapatos. Porque não um Doutor das Tascas? Se é para aproximar...

 

[Texto 6745]

Helder Guégués às 15:42 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: