Acepção: «chicote»

Alguém conhece?

 

      «A forma de atuação das organizações criminosas é importante. Eis algumas dessas operações da PJ: Mãozinhas de Ferro (carteiristas dos elétricos); Polvo (teia que atuava em casas de diversão noturna); Pontas Soltas (que surgiu na sequência do caso Polvo); Chicote (peça usada no furto de automóveis) e Dominó (rede de tráfico de droga que se foi denunciando à medida que foram descobertos suspeitos). Há ainda exemplos mais genéricos como Offline (burla informática internacional), Fundo Falso (fraude fiscal com recurso a faturas falsas), Top Secret (espionagem contra o Estado), Cartão Gift (contrafação de cartões de crédito). E o SEF desmantelou em maio uma rede de ladrões georgianos que cometiam os crimes à noite, na Operação Morcego» («Cavaleiro, Fénix, Lápis Mágico... como se criam os códigos policiais», Céu Neves, Diário de Notícias, 9.07.2016, p. 22).

      Nunca vi nenhum chicote destes. O cibercrime está a dar cabo dos habilidosos que usam estes utensílios. Os lexicógrafos, ao que parece, desconhecem a acepção.

 

[Texto 6945]

Helder Guégués às 19:36 | comentar | favorito