Léxico: «mosaicocultura»

Em extinção

 

    «Corria o ano de 1961 quando António Vitorino França Borges*, à data presidente da Câmara Municipal de Lisboa, inaugurou a exposição de mosaicocultura representando as insígnias das capitais de distrito do país e das antigas colónias» («A inauguração dos brasões», Diário de Notícias, 21.07.2016, p. 17).

     Não está em muitos dicionários, mas o Aulete acolhe-o: «arte de agrupar e ordenar as plantas consoantes as suas cores ou as cores das suas flores, para obter conjuntos semelhantes ao mosaico».

 

[Texto 6968]

 

 

* Neste perfil, na página do Parlamento, afirma-se que a data da morte do general França Borges foi 1959, mas, no campo da carreira político-administrativa, aparece como presidente da Câmara Municipal de Lisboa entre 1959 e 1970. Ninguém lê, ninguém corrige. E ainda querem acabar com os revisores...

Helder Guégués às 22:15 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,