Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «salicórnia»

Cornos salgados

 

      Outra reportagem interessante na RTP foi sobre a salicórnia (marsh samphire, para a legião de anglófonos que nos segue*), em que pudemos ver o engenheiro agrónomo Miguel Salazar explicar onde se encontra esta planta, que é uma erva da família das Quenopodiáceas, com caule grosso, que vive perto de água salgada (é, pois, uma halófita), como sapais e salinas, vendida durante a II Guerra Mundial como espargo do mar e agora considerada o sal verde, pois substitui, pelo menos em alguns casos, o sal na alimentação. A salicórnia também é ingrediente de alguns gins, bebida agora na moda.

 

[Texto 6992]

 

 

      * Ou glasswort. Afinal, também por cá os vidreiros escolhiam a localização das suas oficinas em função da abundância de salicórnia, porque era uma das matérias-primas no fabrico do vidro.

Tradução: «district»

Se fosse jornalista...

 

      «Como tinha acabado de haver vários disparos na 6st Street, e depois houve outro incidente a vários quarteirões dali, com mais tiros disparados nesse incidente, a preocupação inicial era que houvesse um indivíduo que estivesse a levar a cabo táticas de disparador ativo [sic] no distrito de entretenimento, mas não é essa a nossa avaliação neste momento» («Ainda em fuga o atirador que causou tiroteio no Texas», Ana Barros, RTP, 31.07.2016). Se fosse português, era assim que Brian Manley, chefe da Polícia de Austin, se exprimiria? Nada disso: ele saberia, pelo menos se não fosse jornalista, que não dizemos «distrito de entretenimento».

 

[Texto 6991]

Ortografia: «pesgar»

O bom vinho de talha

 

      Ontem vi na RTP uma boa reportagem sobre a pesga das talhas no Alentejo. Pesgar, que é uma técnica deixada pelos Romanos, é impermeabilizar as talhas, impedindo que o vinho se perca por evaporação ou filtração. O mestre pesgador era o oleiro Joaquim Tavares, que explicou e mostrou todo o processo, desde a mistura quente de pez louro (ou colofónia) e cera de abelha ao aquecimento das talhas, que ficam deborcadas sobre duas pedras. Nas legendas, porém, lia-se «pezgar talhas». Até podiam manter-se, como em tantos casos, formas variantes, mas o certo é que os modernos dicionários só registam «pesgar».

 

[Texto 6990]