08
Set 16

Quiasmo

Óptico e linguístico

 

      «Carol Mason, outra das vencedoras do prémio, também investiga o desenvolvimento do sistema visual na Universidade de Columbia, Estados Unidos. O seu trabalho centra-se sobretudo num momento especial da instalação deste sistema chamado “quiasmo óptico” e que, de forma simplista, consiste numa zona em que os axónios formam umas rotundas e um cruzamento no nosso cérebro» («Prémio Champalimaud para estudos dos “cabos” que ligam olhos e cérebro», Andrea Cunha Freitas, Público, 7.09.2016, p. 31).

      Qualquer quiasmo é sempre um cruzamento de alguma coisa. «E zumbia e voava e voava e zumbia» (Machado de Assis).

 

[Texto 7070]

Helder Guégués às 18:48 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Os Maias, os Mendos... — o Portugal genuíno

Sem presumanças

 

      «A família do meu pai é de Mirandela, a da minha mãe de Amarante. Mas é na do meu pai que está a história dos Mendos» («“É Mendo? Se é Mendo é do contra”», Ana Mafalda Inácio, Diário de Notícias, 3.09.2016, p. 4).

   Pode ser menos interessante do que a história dos Maias, mas a história dos Mendos merecia ser conhecida de todos — e sobretudo dos nossos linguistas e gramáticos.

 

[Texto 7069]

Helder Guégués às 08:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
08
Set 16

Léxico: «presumar»

Ainda havia criadas, vejam lá

 

      Fala o ex-ministro da Saúde Paulo Mendo: «Falavam mal, diziam “todas las semanas”, transformavam os erres em eles, como por exemplo “vou dale uma vorta”. Uma das nossas criadas dizia muitas vezes presumar. Um dia, a minha mãe disse-lhe: “Ó Maria, não é presumar, é presumir.” Ela ficou a pensar: “Presumir?, tem a certeza?, ó minha senhora, se eu dissesse presumir lá fora todos julgavam que estava a presumar.”» («“É Mendo? Se é Mendo é do contra”», Ana Mafalda Inácio, Diário de Notícias, 3.09.2016, p. 5).

   Deixem lá a Maria em paz, senhores doutores. Presumar por presumir é antigo e popular, sim, mas já Bluteau o registou, assim como Cândido de Figueiredo.

 

[Texto 7068]

Helder Guégués às 07:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,