13
Set 16

Mais uma facada no «infligir»

Última hora! Última hora! Última hor

 

      Ah, não vamos deixar o Prof. Dr. João Duque sozinho: «Manuel Vilar acabaria por ser transportado ao Hospital S. Sebastião onde foi suturado com seis pontos ao corte infringido pelo rapaz» («Esfaqueia padrasto por não querer ir dormir», Salomão Rodrigues, Jornal de Notícias, 13.09.2016).

      Não, Salomão, não: in-fli-gi-do. Eu sei: é da emoção (a notícia é das 12h16). Quanto ao marmanjo, merecia uns valentes açoites, porque, afinal, reagiu daquela maneira apenas porque o padrasto lhe dera uma «pequena sapatada no pescoço». Só meiguices.

 

[Texto 7082]

Helder Guégués às 13:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Um erro persistente

Olá, génio

 

      Com mais frequência do que o meu coração aguenta, vejo falantes qualificados (?) a confundirem «florescente» com «fluorescente». E deixo, como o étimo do segundo pede, correr. E assim também floresce a calinada. Não pode ser. «Isto na comparação já com as lâmpadas florescentes compactas, que até aqui eram a escolha aconselhada pela Deco por já serem melhores do que as de halogéneo. […] As florescentes compactas já produzem 60 lúmenes, ou seja, a produção de luz é muito maior. […] As de 5500, 6000 kelvin são uma luz mais branca e associada aos tubos florescentes» («Europa despede-se do halogéneo. Luz agora é LED», Ana Bela Ferreira, Diário de Notícias, 31.08.2016, p. 18).

      Veja lá, Ana Bela Ferreira, se põe fim à confusão. Mas também não vale a pena ir a correr comprar um desses livros com 5000 erros, porque pode ficar ainda mais confundida. Nada de desesperar. Só mais empenho.

 

[Texto 7081]

Helder Guégués às 00:10 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
13
Set 16

Ainda a «presidenta»

Seja um brasileiro

 

   «Presidenta inocenta?» Enxerguem-se! Mas vejam o que um brasileiro (certamente não típico) diz da forma como Dilma se exprime (porque da inclassificável indumentária nada direi): «Na terça-feira, à tarde, Dilma discursava para o Senado e para as câmaras de televisão. Quem estava em casa via, em primeiro plano, a rotunda ainda presidente (vestida com o que parecia a capa de um sofá) a lamuriar-se (numa língua vagamente semelhante ao português) da sua má sorte na vida» («Impeachment e cocaína», Edson Athayde, Dinheiro Vivo, 3.09.2016).

 

[Texto 7080]

Helder Guégués às 00:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito