24
Nov 16

Tradução: «brandy»

É preciso decidir

 

      Uma coisa com que também embirro é ver, numa tradução do inglês, a palavra brandy ficar por traduzir. E se aparece, como no caso, muitas vezes, ainda pior. Justificar-se-á o seu uso em todos os casos? Em nenhum? Claro que a culpa começa logo com os dicionários bilingues que traduzem brandy por... brandy, aguardente, conhaque. Vejamos. Se é a redução de brandywine, então o melhor termo para o traduzir é conhaque, que também é uma bebida alcoólica destilada do vinho, isto se abstrairmos da sua origem geográfica. Em duas palavras, seria aguardente vínica. É bem verdade que «conhaque» é aportuguesamento de cognac, e, sendo assim, também podíamos traduzir por brande, que é, na verdade, a variante que habitualmente se usa. Já aguardente não seria tão boa tradução, pois é termo mais genérico, também há aguardentes de frutos, por exemplo.

 

[Texto 7276] 

Helder Guégués às 21:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
24
Nov 16

O novo normal na língua

Um pesadelo

 

      Um monumento perene ao novo normal na língua portuguesa: «Félix Morgado, CEO do banco Montepio (na foto), não avisou o líder da associação mutualista, liderada por Tomás Correia» («Montepio pede estatuto especial para duplicar rescisões», Cristina Ferreira e Vítor Costa, Público, 24.11.2016, p. 16).

 

[Texto 7275]

Helder Guégués às 14:50 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,