29
Nov 16

Como se fala na rádio

Nota-se

 

     «Os alunos portugueses do 4.º estão melhores [sic] a Matemática, mas ligeiramente piores [sic] a Ciências. É esta a conclusão de um estudo [TIMMS] feito pela Associação Internacional para a Avaliação do Rendimento Escolar» (Mário Rui Cardoso, noticiário das 10h00, Antena 1, 29.11.2016). Mas que ciências?... Estudo do Meio? Puf!

 

[Texto 7289]

Helder Guégués às 22:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Como se traduz

Isto é caçanje

 

      Uma vil tristeza: no original, lia-se «but it had come to nothing». O tradutor podia optar por verter para «mas não deu em nada» ou «mas não vingou», ou mesmo, entre outras, «mas em vão», mas tinha de sair, era fatalíssimo, «mas sem sucesso». Triste.

 

[Texto 7288]

Helder Guégués às 11:07 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
29
Nov 16

Ortografia: «Caçanje»

Português mal falado

 

      «Caçanje (banto) – adjetivo. Português mal falado ou mal escrito. “Ele tem um português caçanje que ninguém entende.” Originalmente, é o nome de uma nação africana, do etnônimo kisanji, proveniente dos ovimbundos de Angola, que nunca aprendiam a falar o português corretamente. Abonação: “E foi precisamente o que se deu com o príncipe Natureza, o Mirabeau caçanje das conferências do Recreio.” (M. M. Filho – Conforme Renato Mendonça)» (A Influência Africana na Cultura Brasileira, Emmanuel J. Saraiva. São Luís, MA: Interativa, 2016, p. 37). Ora, habitualmente, o que se lê é Cassange ou Cassanje. Rebelo Gonçalves, no seu Vocabulário da Língua Portuguesa (p. 191), é com esta grafia — caçanje — que regista o adjectivo, o substantivo comum, o topónimo e o o etnónimo.

 

[Texto 7287]

Helder Guégués às 10:01 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,