05
Dez 16

Léxico: «angelino»

Se não temos, pedimos

 

      Ora cá está uma questão linguística com que nunca tinha deparado: qual o gentílico da cidade americana de Los Angeles? Diga-se, antes de mais nada, que nem a todos os topónimos corresponde necessariamente um gentílico. A origem não é espanhola? É: Los Ángeles. (Talvez, não se sabe exactamente, El Pueblo de Nuestra Señora la Reina de los Ángeles del Río de Porciúncula.) Então, procuremos — já que em português nada está registado — no Dicionário da Real Academia Espanhola. Há duas cidades com este nome: uma nos Estados Unidos e outra no Chile. Para ambas, o gentílico castelhano é angelino. Será este que usarei sempre que for necessário, até porque temos o adjectivo angelino, próprio de anjo, angelical.

 

[Texto 7303]

Helder Guégués às 23:45 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
05
Dez 16

Léxico: «turbo-hélice»

Cá, nem uma

 

      «O acidente ocorreu às 16h19 (menos uma hora em Portugal continental), na localidade de Segurilla (Toledo), por razões que ainda não são conhecidas. Foi um pastor que se encontrava na zona que deu o alerta. Quando os bombeiros chegaram ao local, o aparelho (um turbo-hélice Beechcraft King Air 90) estava em chamas» («Quatro espanhóis morrem em queda de avioneta que vinha para Cascais», Alexandra Campos, Público, 5.12.2016, p. 10).

      Está certo. É interessante esta forma de dizer, em vez de «um avião com turbo-hélice». Turbo-hélice, diga-se, não está nos dicionários gerais da língua publicados em Portugal. O VOLP da Academia Brasileira de Letras, pelo contrário, regista tanto aquela como turboélice, em que o h etimológico desaparece, à semelhança de muitas outras, como «lobisomem», «desonra», «inábil», por exemplo.

 

[Texto 7302]

Helder Guégués às 09:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,