Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Tradução: «estime de soi»

Nem sempre

 

      Quem tenha amor à língua sabe que se diz amor-próprio, de preferência a «auto-estima», do inglês self-esteem. Mas há casos e casos. Imaginem que um texto em língua francesa falava de «cette expression “estime de soi”, très répandue de nos jours». Muito difundida hoje é, como sabemos, «auto-estima». É que em francês também há os termos amour-propre e amour de soi.  Mesmo que traduzíssemos (e podemos fazê-lo?) por estima de si, que julgo corresponder ao termo freudiano Selbstgefühl, não estaríamos, ainda assim, a fazer a correspondência exacta. Há outra solução, exceptuando a nota de rodapé em que se explicasse a opção?

 

[Texto 7371]

Como se escreve nos jornais

Ai faz, faz

 

  «Se, nos passos que se seguem, Adalberto Campos Fernandes mantiver os pés assentes nestes relatórios, assim como nos que vai fazendo regularmente o Tribunal de Contas, estará sempre coberto politicamente. Basta que, para isso, os privados percebam que não basta ir a concurso (é preciso mostrar capacidade de investimento e um sólido projecto de saúde pública). E que o Presidente não hesite em dar cobro a uma decisão. É caso para dizer que, aqui, a pressão dos acordos à esquerda pode ser favorável a uma decisão racional. Se a ideologia ficar de fora» («Um passo pelo seguro na Saúde», David Dinis, Público, 3.01.2017, p. 42).

     É um excerto do editorial de hoje do Público. Não se percebe a frase realçada. A expressão é «pôr cobro a», isto é, acabar com, o que não faz sentido no contexto. Há-de ser, então, «dar cobertura a», isto é, consentir em, aprovar. Assim é que se vê como faz falta a revisão, não é?

 

[Texto 7370]