Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

«Cisgado»!?

Foi o Tasos

 

     «48' - Belenenses entra a todo o vapor. Andric trabalha bem na grande área e cruza cisgado à baliza, mas não surge nenhum companheiro para a emenda» («Belenenses-Feirense, 2-2: Karamanos empata no último suspiro do encontro», João Lopes, Record, 3.01.2017, 23h21).

     Se calhar foi Anastasios Karamanos que lhe ensinou a palavra. Cisgado... Temos, é verdade, sesgo, dirigido de lado, oblíquo, torcido, que vem do castelhano. Nesta língua, também há o termo sesgado, oblíquo. Será isto? Diga-se, a propósito, que em castelhano se usa sesgo para o que, entre nós, habitualmente designamos (vimo-lo aqui) por viés/enviesamento/distorção, que é a diferença entre os resultados previstos de um ensaio e um valor de referência aceite.

 

[Texto 7373]

Léxico: «fotossensitizador»

Simplifique-se

 

    «A molécula desenvolvida na Universidade de Coimbra [UC] é um fotossensitizador, o que, em termos simples, significa que entra em acção e destrói um tumor quando, através da terapia fotodinâmica, é iluminada por uma determinada “cor”» («Primeiro medicamento oncológico português passou nos ensaios iniciais em doentes», Andrea Cunha Freitas, Público, 4.01.2017, p. 24).

   Não é palavra de todos os dias, pois claro, nem sequer é fácil pronunciá-la. O que me parece é que, até para os investigadores, será meramente um corante. Seja como for, é um termo, ainda que rude, português e não, como é tão comum em neologismos, inglês.

 

[Texto 7372]