Léxico: «pinheiro-baboso»

Contamos com isso

 

      «E há plantas carnívoras em Portugal? “Claro que sim!”, responde ao PÚBLICO Victor Albert. O biólogo destaca uma espécie endémica de Portugal, Espanha e Marrocos, a Drosophyllum lusitanicum, ou pinheiro-baboso. Habituada a solos xistosos e secos, esta planta exala um odor a mel, para atrair moscas, mosquitos e borboletas. A sua digestão demora entre 24 horas e os oito dias» («Como é que as plantas carnívoras conseguem digerir as presas?», Teresa Serafim, Público, 13.02.2017, p. 30).

      Desta vez está nos dicionários. Lê-se no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «BOTÂNICA planta herbácea, carnívora, da família das Droseráceas, de flores amarelas, folhas compridas e estreitas, com glândulas produtoras de um líquido pegajoso e fermentativo que prende e digere pequenos animais, também conhecida por orvalho-do-sol e erva-pinheira-orvalhada». O que me parece é que está mais do que na hora de se incluir nestes verbetes a designação científica. Não tinha de ser tudo num dia, porque isso nem Roma nem Pavia, mas paulatinamente.

 

[Texto 7478]

Helder Guégués às 16:45 | comentar | favorito
Etiquetas: ,