03
Ago 17

Sobre «autotanque»

Muitas dúvidas

 

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ensina que um autotanque é o «veículo automóvel para transporte de líquidos», e exemplifica: «água, vinho, gasolina». Falta ali um «etc.», pois um autotanque também transporta leite, óleo, etc. ⤶ E autotanque não é sinónimo de camião-cisterna? Se é, porque tem uma definição substancialmente diferente naquele dicionário?

 

[Texto 8075]

Helder Guégués às 21:43 | comentar | favorito

Como pensam no Ministério Público

Mal, ao que parece

 

      «No âmbito de um inquérito, dirigido pelo Ministério Público, onde se investigam as circunstâncias do acidente com uma avioneta que aterrou ontem de emergência numa praia da Costa de Caparica, foram, hoje, ouvidos, na qualidade de arguidos, o piloto e o tripulante» (excerto da nota do Ministério Público para a comunicação social).

      Vamos lá ver: tripulante não é a pessoa que faz parte da tripulação de um avião? Então, são ambos, piloto e co-piloto, tripulantes. Assim, há dois tripulantes, ou o piloto e o co-piloto.

 

[Texto 8074]

Helder Guégués às 21:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «dismetria»

Não é no cerebelo

 

      Agora a podologista/podóloga/podiatra quer que eu vá fazer uma radiografia dos membros inferiores para despiste de heterometria. Oh meu Deus, mas isso é ser igual a 90 % da população mundial! Não se nota nada, mas enfim. O que se nota e bem é que dismetria, sinónimo de heterometria, não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora; apenas noutra acepção o encontramos: «MEDICINA perturbação da mobilidade motivada por lesão do cerebelo». Abrenúncio! Já em relação ao trio podologista/podólogo/podiatra, há outro problema: este último só o encontramos no Dicionário de Termos Médicos. Não faz sentido. E reparei que o VOLP da Academia Brasileira de Letras não regista os dois primeiros, podologista e podólogo. Não se usam no Brasil?

 

[Texto 8073]

Helder Guégués às 18:38 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,
03
Ago 17

Léxico: «garo»

Em português

 

      «As escavações de Junho “deram mais pistas para datar o fim da produção de garum [pasta de peixe feita das vísceras de atum ou cavala, misturadas com outros peixes] neste complexo”, da qual Tróia se tornou imagem de marca no Império Romano» («Encontrados vestígios dos últimos romanos que passaram em Tróia», Público, 3.08.2017, p. 13).

      Senhora arqueóloga, se a palavra já está aportuguesada — garo —, não deve usar a palavra latina. Senhor jornalista, se a palavra é latina, garum, tinha de a grafar em itálico.

 

[Texto 8072]

Helder Guégués às 18:24 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
02
Ago 17
02
Ago 17

Léxico: «rótula de suspensão»

Podia estar

 

      «Ora, poderíamos dizer-lhe que foi precisamente à conta destas ‘irritações’ que o Reino Unido decidiu abolir as lombas, preocupados com o conforto dos condutores e dos seus passageiros, com os danos nos amortecedores, rótulas de suspensão ou pneus dos automóveis» («Saiba porque o Reino Unido quer eliminar as lombas redutoras da velocidade», Motor 24, 2.08.2017).

      É bom saber-se o nome de tudo. Não está nos dicionários, e podia, numa subentrada de rótula. Seja como for, rótula, nesta acepção está, por exemplo, no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «ENGENHARIA dispositivo situado entre duas partes de uma estrutura, destinado a permitir os seus deslocamentos angulares relativos».

 

[Texto 8071]

Helder Guégués às 14:26 | comentar | favorito
Etiquetas: ,
01
Ago 17

«Endoândrico»?

Ora, ora

 

      «Garantir que convivem entre si, que partilham os hábitos e gostos e, quem sabe, à boa maneira aristocrática, promover o tráfego endogâmico e endoândrico. A minha luta quixotesca a favor da abolição dos títulos de licenciatura — sobrevivência ostensiva da nobreza de toga — afinal entronca também aqui» («Matrículas, escola pública e a nossa sociedade aristocrática», Paulo Rangel, Público, 1.08.2017, p. 44).

   Ora, ora, e não andará Paulo Rangel a inventar palavras desnecessárias? Endoândrico, caramba... Não foi pior do que aqui. Decerto, bem sei que, por vezes, somos forçados a criar palavras, por não encontrarmos a adequada, mas será o caso?

 

[Texto 8070]

Helder Guégués às 23:18 | comentar | ver comentários (3) | favorito
01
Ago 17

Léxico: «excepcionar»

Mais simples

 

      «A partir desse mês, passaram a estar abrangidas por uma carga fiscal adicional as bebidas não alcoólicas “adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes” (excepcionando-se se [sic] a adição por sumos de frutas ou hortícolas); sidra e hidromel com teor alcoólico entre 0,5% e 1,2%; e concentrados (em xarope ou pó) a serem preparados por retalhistas ou pelos próprios consumidores finais» («Indústria admite que consumo baixou com taxa de refrigerantes», Isabel Aveiro, Público, 1.08.2017, p. 14).

    Ah, isso é que não, Isabel Aveiro, descomplique, descomplique. Excepcionar é termo jurídico — aproveite-se o ensejo para dizer que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não o regista —, e, ainda que o não fosse, não deixaria de ser pretensioso.

 

[Texto 8069]

Helder Guégués às 16:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito