Como se escreve nos jornais

Não se percebe

 

    «Comparando o clima no Líbano hoje ao que existiu antes do assassínio do seu pai, Rafiq Hariri, o primeiro-ministro Saad Hariri anunciou a sua demissão num discurso televisivo a partir da Arábia Saudita. “Senti que havia um plano cujo alvo era acabar com a minha vida”, declarou. [...] Hariri-filho nunca conseguiu ter um poder comparável ao do pai; o xiita Hezbollah rapidamente se tornou a força dominante» («Primeiro-ministro anuncia demissão sob ameaças de morte», Público, 5.11.2017, p. 17).

      Onde é que o jornalista alguma vez viu isto? Hariri-filho... Em lado nenhum. Aspas, hífenes, letra grelada é com eles. Para mais, no caso, nem se trata de homónimos, um é Rafiq Hariri, o outro é Saad Hariri.

 

[Texto 8293]

Helder Guégués às 16:41 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,