12
Nov 17

Ortografia: «factual»

Vê-se

 

      «Importa ainda realçar que o arguido disse ao menor para falar nas sessões de julgamento — dá as tuas opiniões — ao contrário do que a mãe lhe disse — diz a verdade toda. (...) permite aferir que o menor tem dificuldade em distinguir verdade fatual de opinião» («Condenado», Tânia Laranjo, Correio da Manhã, 5.11.2017, p. 27).

      Não sei se o «fatual» é dos juízes ou da jornalista — na verdade, é igual, em qualquer dos casos há uma incontestável obrigação de escrever correctamente. Se há tanta gentinha que julga que, com o Acordo Ortográfico de 1990, se passou a escrever «fato» em vez de «facto», é claro que tinham de pensar o mesmo de «factual». É triste e bem revelador do grau de proficiência que se tem da língua materna. Sabem, sabem, mas depois vê-se que não sabem nada.

 

[Texto 8329]

Helder Guégués às 16:02 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Ortografia: «sem-fim»

Ambos com hífen

 

      «Pode começar pelo pinhal de Leiria, embora haja um sem fim de itinerários que o levarão invariavelmente ao drama, ao horror, ao desespero, à desgraça» («Que falta de sensibilidade», Paulo João Santos, Correio da Manhã, 2.11.2017, p. 2).

      Ó senhor chefe de redacção, não é apenas à engrenagem com um parafuso com rosca helicoidal que se dá o nome de sem-fim, com hífen — a uma grande quantidade seja lá do que for também se dá o nome de sem-fim, também com hífen. Gramática e emoção em partes iguais, pelo menos.

 

[Texto 8328]

Helder Guégués às 12:47 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Sobre «predador»

Em sentido figurado, pois

 

      «Para identificar o predador, foram essenciais os vestígios biológicos deixados nos lençóis e no pijama da vítima» («Ataca jovem na cama e força-a a fazer sexo», Nelson Rodrigues, Correio da Manhã, 2.11.2017, p. 13).

    Fará sentido usar tal termo neste contexto? Não me parece. No Correio da Manhã, muito atreito ao drama, ao horror, ao desespero, à desgraça, não fica mal, mas o certo é que se lê por aqui e por ali a palavra para designar os violadores. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, o verbete está incompleto.

 

[Texto 8327]

Helder Guégués às 12:19 | comentar | favorito

Ortografia: «cor-de-rosa», de novo

Serão necessárias gerações

 

      «O último filme de David Gordon Green centra-se nesta história verídica [a de Jeff Bauman, que fora ver a namorada na maratona de Boston, em 2013, e, na sequência do atentado, ficou sem as duas pernas], entre álcool e fisioterapia, deixando um final cor de rosa-romanesco» («Amor América», Joana Amaral Dias, «Domingo», Correio da Manhã, 12.11.2017, p. 40).

      Apropriadamente, a rubrica de Joana Amaral Dias chama-se «Quarto escuro», e foi isso mesmo que aconteceu: escreveu às escuras. Quantas gerações têm de passar até todos os falantes saberem que é «cor-de-rosa» que se escreve? ☒

 

[Texto 8326]

Helder Guégués às 11:48 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
12
Nov 17

Léxico: «desmonta-pneus» e «descrava-corrente»

Pontas soltas no ciclismo

 

      Ontem ofereceram-me um estojo com uma ferramenta multifunções da Berg, um par de desmontas, um descrava-corrente Var, remendos e cola. Agradeci, pois claro, porque devemos sempre agradecer seja o que for que nos derem, mas, na verdade, costumo sair de casa apenas com... um cartão de débito. Isso mesmo, nem identificação, nem bomba, nem elos rápidos, nem abraçadeiras, nem barras energéticas, nem corta-vento, nem luvas de látex, nem água, nem... nada. Por vezes, levo o telemóvel. Mas, é claro, toda a diferença é que não sou um ciclista de estrada, e o máximo que ando numa volta é 20 quilómetros e, num dia, o dobro disto.

      Agora os dicionários. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora nem sequer regista desmonta (ou, mais raro, desmonta-pneus), nem tão-pouco descrava-corrente. E, no entanto, vamos encontrar desmonta-pneus nos dicionários bilingues: tyre lever no de Inglês-Português; Reifenheber no de Alemão-Português; bandenlichter no de Neerlandês-Português. Do descrava-corrente (rivet chain em inglês) nem rasto em toda a Infopédia. Isto não pode ser assim: se se usa um qualquer vocábulo português nos dicionários bilingues — ou, porque também é erro que já vimos, em definições do mesmo dicionário —, esse vocábulo tem de estar obrigatoriamente no Dicionário da Língua Portuguesa.

 

[Texto 8325]

Helder Guégués às 11:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,