28
Dez 17

Ortografia: «extracto/estrato»

Nem no século XXV

 

     «Os bares [dos hospitais] vão igualmente deixar de poder vender águas aromatizadas, bebidas energéticas e bebidas com cola ou estrato de chá, guloseimas tipo rebuçados, caramelos, pastilhas com açúcar, gomas, snacks doces ou salgados, designadamente tiras de milho, batatas fritas e pipocas (doces ou salgadas)» («Bares dos hospitais proibidos de vender doces e salgados», Rádio Renascença, 28.12.2017, 7h32).

   Acho muito bem. O que acho muito mal é os jornalistas continuarem a confundir extracto (ou extrato, vá, e deixem que me persigne) com estrato. La.men.tá.vel.

 

[Texto 8527] 

Helder Guégués às 21:41 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «tapiocaria»

Outra moda

 

      «Rita Pereira prepara-se para abrir mais uma tapiocaria, agora no Norte do País. A atriz não esconde a felicidade pelo sucesso como empresária» («Loja», Correio da Manhã, 27.12.2017, p. 45).

      Eu nem sequer sabia que existia, e já vai na sexta loja. Tapiocaria Beiju... Nem sequer os dicionários brasileiros, pelo que vi, registam tapiocaria.beiju, segundo o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, é o «bolo feito de mandioca ou de tapioca», este sim, brasileirismo, e, sendo assim, prefiro consultar o Aulete, para o qual são quatro coisas distintas: «bolo feito com massa fina de mandioca ou tapioca assada; biju; iguaria assada, feita de fubá, manteiga e açúcar; espécie de biscoito muito fino, enrolado em forma de canudo; farinha de milho torrada em flocos, que se come com leite, iogurte etc.». A variante, como viram, é biju, que o dicionário da Porto Editora não regista com esta acepção. Para nós, biju (do francês) é um pãozinho arredondado, uma espécie de carcaça, feito de farinha de trigo.

 

[Texto 8526]

Helder Guégués às 21:31 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «encarcerar»

Explica o médico

 

     «“O doutor Miguel ligou-me a dizer que a hérnia precisava de tratamento urgente porque encarcerou, saiu. Não ia para dentro, obrigava a uma intervenção de urgência”, adiantou Eduardo Barroso» («Marcelo fica internado mais dois dias após “cirurgia de urgência”», Rádio Renascença, 28.12.2017, 16h35).

     O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora nem sequer regista esta acepção de encarcerar.

 

[Texto 8525]

Helder Guégués às 20:58 | comentar | favorito

Léxico: «avisino»

Um marido paciente

 

     A senhora *** começou a ler Isabel de Borgonha: Ínclita Geração, de Isabel Stilwell. «Oh, sim, membro relevante da primeira geração avisina», perorou o marido. «Sempre o mesmo! Falo-te do livro que comecei a ler e tu falas-me da vizinha, meu alarve?!» Pois é verdade, avisino usa-se e os dicionários ignoram-no completamente. Vá-se lá perceber.

 

[Texto 8524]

Helder Guégués às 20:51 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «herniorrafia»

Parecem coisas diferentes

 

      «A operação que Marcelo vai realizar chama-se herniorrafia e corresponde ao encerramento da zona de fraqueza da parede muscular» («Marcelo fica internado mais dois dias após “cirurgia de urgência”», Rádio Renascença, 28.12.2017, 16h35).

      Eu pensava que o Presidente da República ia ser submetido a uma operação cirúrgica, não que a fosse realizar. Na Infopédia, temos duas definições. No Dicionário da Língua Portuguesa, é coisa simples: «correcção de uma hérnia». Nem uma palavra de que se trata de uma cirurgia. No Dicionário de Termos Médicos, está irreconhecível, e não propriamente exemplar: «Sutura radical de uma hérnia após ressecção do seu saco e consolidação da parede da cavidade através da qual se faz a hérnia.» Podia e devia ser simplificado — ou é só para médicos?

 

[Texto 8523]

Helder Guégués às 20:32 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

«Hérnia estrangulada/encarcerada»

Quem sabe?

 

      «“Esta operação estava há muito prevista para o início de Janeiro, mas os médicos assistentes decidiram antecipá-la, por ter encarcerado” (ou estrangulado, em termos médicos), lê-se num comunicado colocado no “site” da Presidência da República» («Presidente da República internado para ser operado a uma hérnia», Rádio Renascença, 28.12.2017, 13h42).

      Animado pelo espírito de Natal, o jornalista quis facilitar a vida ao leitor. Fez bem ou fez mal? Vejamos: se o jornalista afirma que em medicina se diz «estrangulado», já está a acrescentar um dado técnico menos relevante para o caso. Meritório era se a situação fosse a inversa, ou seja, a Presidência da República usar um termo técnico que o jornalista quissesse ver compreendido por todos. E agora o mais importante: serão mesmo sinónimos? Na definição do Dicionário de Termos Médicos da Porto Editora, ocorre estrangulação herniária «quando o órgão contido em uma hérnia é apertado pelo anel herniário, o que pode conduzir à necrose desse órgão». Já estrangulado, para o mesmo dicionário, diz-se do «que se encontra encravado ou fixado, como um cálculo, ou estrangulado como uma hérnia». Parece o mesmo, ou algo muito próximo. Vejamos agora o que diz a Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal: «O maior perigo da hérnia surge quando há a conjunção de dois fatores: grande volume do órgão deslocado – aumentando o conteúdo no saco herniário – e anel herniário estreito, o que dificulta o vai-e-vem do órgão. Esta situação faz com que o conteúdo herniário fique preso (encarcerado) no saco herniário e sujeito a provocar o estrangulamento herniário, que implica na torção das alças intestinais. A torção pode provocar obstrução intestinal, que tem como sintomas as cólicas abdominais e a dificuldade para eliminar gases e fezes.» Não parece o mesmo, antes um resultado do outro.

 

[Texto 8522]

Helder Guégués às 18:42 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «libero-»

Segunda em pouco tempo

 

      «Milhares de liberianos foram ontem às urnas votar no que deverá ser mais um marco no país: a primeira transição pacífica democrática, da presidente Ellen Johnson Sirleaf para o vencedor, e a segunda vez na história do país que o dirigente máximo não pertencerá à chamada “elite libero-americana”, descendente de escravos libertados» («Será desta que George Weah realiza o sonho de ser Presidente?», Maria João Guimarães, Público, 27.12.2017, p. 26).

      É a segunda vez, em pouco tempo, que aqui vemos um adjectivo pátrio reduzido. Os dicionários não se interessam pela questão, o que explica tantos erros nisto.

 

[Texto 8521]

Helder Guégués às 18:38 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «biossimilar»

Antecipemo-nos

 

      «O próximo ano, acrescenta [Paulo Lilaia, presidente da Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos e Biossimilares], vai ser um ano de lançamento de muitos genéricos e também de biossimilares (uma espécie de genéricos dos medicamentos biológicos que são administrados nos hospitais)» («Fim de patente de fármaco para colesterol representa poupança superior a 20 milhões», Alexandra Campos, Público, 27.12.2017, p. 21).

      Esperemos que, nessa altura, os dicionários gerais já registem o vocábulo biossimilar, porque vai dar jeito.

 

[Texto 8520]

Helder Guégués às 18:24 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
28
Dez 17

Léxico: «geoarqueológico»

Como vão saber?

 

      «Tal como o nome indica, a missão do projecto geo-arqueológico Margens Áridas do Norte da Síria é perceber como os primeiros humanos ocuparam o Norte da Síria e como aproveitaram o seu ambiente geográfico» («Descoberta rede militar com quatro mil anos no Norte da Síria», Teresa Serafim, Público, 27.12.2017, p. 29).

      Bem pode a Direcção-Geral do Património Cultural afirmar que a «Geoarqueologia é a disciplina que se dedica ao estudo dos processos de formação e de alteração do registo arqueológico utilizando conhecimentos, metodologias e ferramentas das Ciências da Terra», os dicionários não querem saber, não registam geoarqueologia nem geoarqueológico.

 

[Texto 8519]

Helder Guégués às 16:13 | comentar | ver comentários (2) | favorito