13
Jan 18

Léxico: «genotípico»

Não se compreende

 

      «Com a intervenção do Instituto [Nacional de Saúde Ricardo Jorge], foi possível “fazer a caracterização genotípica”, através da qual se identificam os vários tipos e subtipos de sarampo» («Epidemia de sarampo em 2017 teve dois surtos coincidentes», TSF, 13.01.2018, 14h33).

    Mais uma vez, eu sei, parece mentira: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista o adjectivo genotípico, e, contudo, está — numa falha demasiado repetida — nos dicionários bilingues. Não falta no VOLP da Academia Brasileira de Letras. É que uma coisa é não acolher «sauropsídeo», outra, muito diferente, é não ter um adjectivo como este quando regista genótipo e fenotípico.

 

[Texto 8576]

Helder Guégués às 18:48 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pendulação»

Isso é mau

 

      «Isso diminui imenso o atrito e torna os Talgos os comboios mais leves do mundo, com evidentes vantagens ao nível da aerodinâmica, velocidade e consumos energéticos. São ainda dotados de uma “pendulação natural” graças a um sistema que faz com que a composição — já de si invulgarmente baixa e com carruagens curtas — se incline nas curvas, tornando a viagem mais cómoda para os passageiros» («Talgo posiciona-se para o concurso de material circulante da CP», Carlos Cipriano, Público, 12.01.2018, p. 26).

      Usa-se e está em alguns dicionários, nanja no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Pior: encontramo-lo no verbete tilting do dicionário de Inglês-Português. Isso é mau.

 

[Texto 8575]

Helder Guégués às 00:25 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: ,
13
Jan 18

Léxico: «bogie»

Para saber mais

 

      «Para além [sic] da proximidade — um factor que dizem ser importante quando comparado com os seus concorrentes franceses e alemães —, a empresa salienta a especificidade dos seus comboios: em vez de cada carruagem assentar em dois bogies (conjuntos de quatro rodas), no seu caso cada carruagem assenta, nas suas extremidades, em duas rodas, que, por sua vez, são partilhadas pela carruagem seguinte» («Talgo posiciona-se para o concurso de material circulante da CP», Carlos Cipriano, Público, 12.01.2018, p. 26).

      Vamos ver se percebo: bogie não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, e não me lembro de alguma vez ter visto um termo português correspondente. Até aqui, muito bem. Está, contudo, como é natural, no Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora: «(caminhos de ferro) bogie». O que estão a dizer-nos? Que em português se usa o termo inglês. Se é assim, porque não o encontramos — com a respectiva definição — no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora? Na Grã-Bretanha, bogie, cuja origem se desconhece, significa «an undercarriage with four or six wheels pivoted beneath the end of a railway vehicle». Segundo o léxico das Infra-Estruturas de Portugal, é a «estrutura mecânica constituída por 2 ou 3 eixos e por um sistema de amortecimento que liga a caixa ao carril».

 

[Texto 8574]

Helder Guégués às 00:05 | comentar | ver comentários (4) | favorito