28
Jan 18

«Pneumonia à legionela»?

Gíria? Lapso? Esquisitice?

 

      Basta estarmos atentos, e haverá sempre sempre alguma coisa nova. O director clínico adjunto do Hospital CUF Descobertas, Paulo Gomes, disse que, das quatro pessoas diagnosticadas, «duas [são] funcionárias do hospital que também foram admitidas com pneumonia à legionela». «Pneumonia à legionela»... Primeiro — ponham-se no meu lugar —, pensei que tivesse ouvido mal, mas não. Esperávamos ou não aqui outra preposição? Sim: pneumonia por legionela/pneumonia por Legionella pneumophila. Há por aí algum médico inteligente que nos esclareça? Ah, a minha cabeça. Sim, é redundante: um médico. Simplesmente.

 

[Texto 8631]

Helder Guégués às 23:11 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas:

Cidade Luz/Cidade das Luzes

Há escolha

 

      «Foram igualmente fechadas estradas nas margens do rio, bem como sete estações de comboio ao longo do seu curso, mas tais medidas não causaram perturbações de maior na Cidade das Luzes» («França. Água continua a subir em Paris», Rádio Renascença, 28.01.2018, 17h46).

      É um dos dois prosónimos de Paris, mas o meu preferido é Cidade Luz, talvez porque em francês é Ville Lumière. Há quem, porém, troque os fios e escreva «Cidade da Luz», como Estádio da Luz. Enfim.

 

[Texto 8630]

Helder Guégués às 22:13 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
28
Jan 18

Léxico: «crowdfunding»

Melhorável

 

      «O novo regime sancionatório aplicável ao desenvolvimento da atividade de financiamento colaborativo, conhecido como ‘crowdfunding’, tem por base uma proposta do Governo, estabelece que, no caso de financiamento colaborativo de capital ou por empréstimo, compete à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários a regulação, supervisão e fiscalização, assim como a verificação de infracções e aplicação de coimas. No caso de financiamento colaborativo, através de donativo ou recompensa, cabe à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica fiscalizar a actividade» («Marcelo promulga regimes de ‘crowdfunding’ e de avaliação de impacto de género», Rádio Renascença, 27.01.2018, 21h36).

      Está, tinha de estar, no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, como estrangeirismo, mas pergunto se a definição da lei não é melhor. Lê-se no dicionário: «financiamento colectivo de um projecto ou de uma iniciativa através da angariação de pequenas contribuições monetárias de um número grande de pessoas com os mesmos interesses, realizada tipicamente pela internet e redes sociais». Para começar, gosto mais da definição como financiamento colaborativo. Já quanto a ser com pequenas contribuições, isso é assim apenas tipicamente, não pode fazer parte da definição. A definição do dicionário não precisa de ir tão longe, mas há diversas modalidades de financiamento colaborativo, a que alude o artigo acima. Eis agora a definição que podemos encontrar na lei que estabelece o regime jurídico do financiamento colaborativo: «O financiamento colaborativo é o tipo de financiamento de entidades, ou das suas atividades e projetos, através do seu registo em plataformas eletrónicas acessíveis através da Internet, a partir das quais procedem à angariação de parcelas de investimento provenientes de um ou vários investidores individuais.» Refinando um pouco, eliminando aqueles «através» (que até na definição do dicionário encontramos) e «a partir das», teríamos uma boa definição.

 

[Texto 8629]

Helder Guégués às 09:58 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,