10
Fev 18

Léxico: «quimerismo»

Ascender, ascensão

 

      «Os Cranberries deixavam para trás o quimerismo e entregavam-se à eletricidade» («Dolores O’Riordan. Queda e ascenção [sic] em voz de anjo assombrado», Davide Pinheiro, suplemento «b. i.»/Sol, 20.01.2018, p. 11).

      Neste caso não sei, ainda não ascendi a esse conhecimento, mas quimerismo é termo da biologia (que não consta no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora) para designar a presença, num indivíduo, de duas ou mais linhagens celulares distintas derivadas de um zigoto, isto é, com origem genética diferente.

 

 [Texto 8722]

Helder Guégués às 19:31 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

«Soalheiro/solarengo», ainda

Ainda não lhe chegou

 

      «Voltamos ao exterior e ao dia solarengo, mas fresco» («Uma lança bóer na África do Sul», Marco C. Pereira, suplemento «b. i.»/Sol, 20.01.2018, p. 31).

      Ainda não chegou a Marco C. Pereira, jornalista, a notícia de que «solarengo», neste sentido, é erro, em má hora apenas admitido no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa.

 

 [Texto 8721]

Helder Guégués às 19:10 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cabra-de-leque»

Escorraçada

 

      Pouco depois, com o homem vestido de bege-caqui: «A explicação entusiasta do cicerone é interrompida pelo avistamento quase imediato de avestruzes, zebras, macacos, cabras-de-leque e de espécimes distintos da fauna residente» («Uma lança bóer na África do Sul», Marco C. Pereira, suplemento «b. i.»/Sol, 20.01.2018, p. 29).

      Há quantos anos a cabra-de-leque (Antidorcas marsupialis) anda na literatura portuguesa! Pois no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ainda não pôs as patinhas, e não faltam nele cabras. Caramba, até há uma subespécie angolana, também chamada cabra-de-leque (Antidorcas marsupialis ssp. angolensis). Se não preservarmos o que é nosso, quem o vai fazer? No Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora, na entrada springbok, que é precisamente a cabra-de-leque, lê-se: «variedade de gazela sul-africana». Não pode ser.

 

 [Texto 8720]

Helder Guégués às 18:49 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Ortografia: «bege»

E não há outra

 

      «Minutos depois, David McNaughton aparece em trajes beije-caqui de explorador e leva-nos a bordo da sua carrinha» («Uma lança bóer na África do Sul», Marco C. Pereira, suplemento «b. i.»/Sol, 20.01.2018, p. 29).

      Podia ser uma nova cor inventada por Marco C. Pereira, mas não, é apenas um erro. É bege que se escreve, Marco C. Pereira. «Beije» é uma forma verbal.

 

 [Texto 8719]

Helder Guégués às 18:24 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Uma triste excepção

Descerebrados

 

      Lorenzo Caprile, entrevistado esta manhã na Cadena Cope, mandou um recado aos moços do Podemos: «Rapazes e raparigas do Podemos, deixem-se de tentar encontrar problemas onde os não há. Ajudem-me vocês a tirar a palavra “modisto” do dicionário.» Lorenzo Caprile, que não é apenas um especialista de agulha e dedal, estudou no Fashion Intitute of Technology de Nova Iorque e no Politécnico Internacional da Moda de Florença e é também licenciado em Língua e Literatura pela Universidade de Florença, deve saber o que diz ao afirmar que «modisto» chegou ao castelhano ainda no século XIX. E lá está modisto no Dicionário da Real Academia Espanhola: «Hombre que se dedica a hacer prendas de vestir o a crear modas o modelos de ropa, principalmente para mujer.» Ah, sim, e também regista modista: «Persona que se dedica a hacer prendas de vestir o a crear modas o modelos de ropa, principalmente para mujer.»

 

 [Texto 8718] 

Helder Guégués às 17:45 | comentar | favorito

Léxico: «mata-mata»

É a oportunidade

 

      «O desporto secular que deu os primeiros passos na Escócia não tem tradição em Portugal, mas há um luso-descendente que é considerado o “Mourinho do curling”. Também há equipamentos extravagantes e até uma polémica por causa de um “choque tecnológico” nas vassouras utilizadas na modalidade. [...] Uma partida de curling está dividida em dez “ends”, onde cada um dos quatro jogadores pode lançar duas pedras e tenta somar o maior número de pontos possível. Em caso de empate pontual, as duas equipas fazem um “end” de mata-mata para determinar o vencedor» («Curling. Guia para entender a estranha modalidade que abriu os Jogos de Inverno», Rádio Renascença, 9.02.2018, 16h54).

      Curling. Sim, imagino que não tenha tradução nem seja susceptível de aportuguesamento, por isso também é impensável ter o nome de uma modalidade olímpica fora dos dicionários, fora do Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Já mata-mata, que é bem português e anda por aí todos os dias na boca dos falantes, está em alguns dicionários, mas não no da Porto Editora.

 

[Texto 8717]

Helder Guégués às 17:11 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: ,
10
Fev 18

Léxico: «cervicobraquialgia»

Muito pior

 

      Só tenho uma fortíssima constipação, mas, e se fosse uma cervicobraquialgia, como seria, pois nem sequer está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora? Seria pior. É uma dor que afecta o pescoço (cervicalgia) e irradia para o membro superior (braquialgia), podendo ser uni ou bilateral. Cervicobraquialgia, então: encontramo-la no verbete «síndrome de Abrami-Parlier» do Dicionário de Termos Médicos, mas, crime de lesa-dicionarística, não a definem.

 

 [Texto 8716]

Helder Guégués às 16:39 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,