27
Mar 18

Léxico: «sorpasso»

Não nos deixemos ultrapassar

 

      «Vamos supor que o CDS consegue chegar aos resultados de 2011 ou mesmo um pouco mais – por exemplo, 750 mil votos. Mesmo com este resultado absolutamente otimista e sem nenhum fundamento nos estudos de opinião conhecidos, não há sorpasso nenhum (deixando o PSD próximo dos 1,2 milhões de votos, o pior resultado da sua história)» («Estado da direita (I): o sorpasso do CDS», Nuno Garoupa, Diário de Notícias, 27.03.2018, p. 2).

      Até podia estar no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, como estrangeirismo, evidentemente. E esta acepção não devia faltar no Dicionário de Italiano-Português da Porto Editora, mas falta. Não significa mais do que ultrapassagem, superação, mas usa-se em análise política e em economia. Nas eleições italianas de 1976, o Partido Comunista, conduzido por Enrico Berlinguer, parecia ter condições para se tornar a primeira força política e ultrapassar, superar — cá está o sorpasso, palavra que então se usou — a Democracia Cristã, que estava à frente dos destinos do país desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Não chegou a acontecer, pelo menos nessas eleições, pois o PCI alcançou 34,37 % e a DC 38,71 % dos sufrágios, mas a palavra ficou. No âmbito económico, o termo também foi amplamente usado, em 1987, na imprensa italiana quando este país ultrapassou o PIB nominal do Reino Unido, e, dois anos depois, o rendimento per capita italiano ultrapassou o do Reino Unido.

 

[Texto 8976]

Helder Guégués às 23:04 | comentar | ver comentários (4) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «gorgónia/espelho/ramo»

Parece que desistiram a meio

 

      «Investigadores do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) estão a recolher corais que deram à costa em praias do Algarve para os devolver ao seu habitat natural, anunciou esta terça-feira aquele centro da Universidade do Algarve.

      Os corais, designados por ‘gorgónias’, foram arrancados das rochas no mar pelas tempestades e surgiram em grande quantidade em areais da região algarvia, principalmente na zona da praia de Santa Eulália, no concelho de Albufeira. Segundo os investigadores, foram recolhidas várias espécies vivas, na sua maioria Leptogorgia sarmentosa e Leptogorgia lusitanica, “que estão a ser mantidas e alimentadas em condições controladas na estação de Biologia Marinha na Universidade do Algarve para depois serem transplantadas de volta ao seu habitat natural”. Além daquelas duas espécies, foram recuperados também alguns exemplares de Eunicella verrucosa, uma gorgónia conhecida pelos pescadores como espelho ou ramo» («Cientistas querem salvar corais que deram à costa em praias do Algarve», TSF, 27.03.2018, 16h51).

     No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, não encontramos nenhum dos três termos. Gorgónia aparece apenas nos dicionários bilingues. Trabalho incompleto.

 

[Texto 8975] 

Helder Guégués às 17:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «aférese»

Até nos ferve o sangue

 

      «Apesar disso, o presidente do IPST [Instituto Português do Sangue e da Transplantação] sublinhou que se terá que começar a aumentar a aférese (processo de separação dos diversos elementos do sangue), advertindo que, por mais sessões de colheita que se façam por aférese, o país nunca será autossuficiente na produção de medicamentos através de plasma português» («Nível de reservas de sangue é estável, mas falta aproveitar melhor o plasma», Rádio Renascença, 27.03.2018, 15h13).

      Para o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, a aférese é apenas um fenómeno fonético. Ficará isto resolvido no próprio Dia Nacional do Dador de Sangue, hoje?

 

[Texto 8974]

Helder Guégués às 16:56 | comentar | ver comentários (7) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
27
Mar 18

Léxico: «vinho laranja»

Manda a prudência

 

      Já estamos noutro dia, voltei, e apenas para reconhecer que a prudência, essa solteirona rica que a incapacidade corteja, é uma bela virtude, sem dúvida, mas o vinho laranja existe mesmo: «Vinho laranja vinho branco fermentado em contacto com a película da uva (como o vinho tinto), o que lhe confere uma cor carregada. É relativamente adstringente» (Especialista em Vinhos em 24 Horas, Jancis Robinson. Tradução de José Mendonça da Cruz. Alfragide: Casa das Letras, 2016).

 

[Texto 8973]

Helder Guégués às 00:10 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,