02
Mai 18

Léxico: «judiaga»

Tudo esquece

 

      «Um destes dias, vinha eu do banho, já com frio, e parei no sítio onde havia dantes uma sebe de daroeira, cujas raízes foram arrancadas a poder de dinamite, porque faziam dano às oliveiras judiagas daquela estrema» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 187).

      Na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, ainda se pode ver este substantivo — judiaga ou judaica — para designar uma variedade de azeitona. Desde então, é sempre a empobrecer.

 

[Texto 9142]

Helder Guégués às 12:47 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «desconstranger»

Ponham aqui os olhos

 

      «Leonel fez, a propósito, um comentário anódino e, ouvindo a própria voz, desconstrangida, quase natural, admirou-se de poder falar assim de um assunto qualquer, daquela forma» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 175).

   Esta é sobretudo para certos tradutores tão pobres, tão pobres, que só conhecem aquela parvoíce, tirada a papel químico do inglês, do «confortável/desconfortável». Vá, ainda podem reabilitar-se.

 

[Texto 9141]

Helder Guégués às 12:41 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «gulosino»

Caramba, que razia

 

      «Mas entre os portugueses do “Quartier Latin” que a despiam com olhos gulosinos ­murmurava-se...» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 61).

      É preciso, creio, recuar-se ao século XIX para encontrar gulosino nos dicionários. Diacho. E, aqui, Urbano Tavares Rodrigues esqueceu-se de que para trás sempre escrevera Bairro Latino. É que naquela época os revisores ainda não dispunham de Memofante.

 

[Texto 9140]

Helder Guégués às 12:34 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cruza»

Miscigenação

 

      «Destacava-se do grupo um mulato escuro e faceiro, cingido num “jersey” carmesim com flores estampadas; noutro adivinhava-se o sangue tupi, tão exalçado; e até a cruza germânica nos traços loiros e viris do que regia a orquestra com o dedo espetado, de unha crescida e pospontada a negro» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 55).

     Então, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, esqueceste-te? Cruza, sim... mas não só: pospontar. O mesmo que pespontar.

 

[Texto 9139]

Helder Guégués às 12:29 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pesca ao corrido»

Só os pescadores saberão

 

      «O Carrasco, como de costume, encontrava-se deserto. Nem por ali perto os amadores da pesca ao corrido, cujos equipamentos modernos e trajos por vezes gritantes já não causam estranheza ao saloio» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 35).

      O que é, o que não é, os dicionários não dizem, os lexicógrafos não sabem, apenas os pescadores.

 

[Texto 9138]

Helder Guégués às 12:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «figueira-da-barbaria»

Mas é sinónimo

 

      «Caminhavam sobre os escolhos centenares, picotados como rendas, ásperos, aguçados; quando erguiam os olhos, viam ainda lá em cima o muro branco, para lá do qual se alteavam, contra o céu de anil, os vultos irritantes e sensuais de um reque de figueiras-da-barbaria» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 35).

      Figueira-da-barbaria ou figueira-da-barbária (Opuntia ficus-indica), sinónimo de figueira-da-índia que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ignora.

 

[Texto 9137]

Helder Guégués às 12:09 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «cerebral»

Mas não é

 

      «Era um cerebral: inquinava a vida com lógica» (Vida Perigosa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1955, p. 11).

      Não, não é esta acepção de cerebral que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista.

 

[Texto 9136]

Helder Guégués às 12:07 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «segundo-comandante»

Só cabos

 

      «“O DFE7 [Destacamento de Fuzileiros Especiais 7] foi uma unidade única” e que regressou à então Metrópole com todos os seus membros, em que menos de metade ainda estão vivos, diz o seu segundo-comandante» («Honra e glória conquistadas após forte susto com... uma onda», Manuel Carlos Freire, Diário de Notícias, 21.04.2018, p. 13).

      Já vimos que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não gosta de segundo-comandante. Ainda se fosse segundo-cabo... Assim, nada feito.

 

[Texto 9135]

Helder Guégués às 12:05 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
02
Mai 18

Aportuguesamento: «pizaiolo»

Entre um e outro

 

      «[João Bartolomé Duarte] Recorda-me que aquela massa levedou 24 a 48 horas antes de se fazer piza — “porque não pode levedar no estômago, senão enfarta” — e chama o chef pizaiolo Diogo Coimbra para contar mais sobre a sua arte, os ingredientes que usa, as exigências da técnica» («“O conceito de piza mudou. Já não é fast food, pode até ser gourmet”», Joana Petiz, Diário de Notícias, 21.04.2018, p. 7).

      Claro que temos já o termo pizeiro, mas entre o italiano pizzaiolo, que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista, e o aportuguesamento pizaiolo, eu não hesitaria.

 

[Texto 9134]

Helder Guégués às 12:04 | comentar | ver comentários (1) | favorito