24
Mai 18

Léxico: «rodoferroviário»

Uns têm, outros não

 

      «A ajuda médica de emergência teria de vir de fora do distrito, e eventualmente por via aérea, já que também as principais vias de comunicação ficariam afetadas ao ponto de não permitirem a circulação rodoferroviária» («Simulador de sismos português trabalha com dados desatualizados», João Cunha, Rádio Renascença, 24.05.2018, 16h45).

      No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔. E, no entanto, o dicionário da Porto Editora acolhe rodofluvial.

 

[Texto 9283]

Helder Guégués às 17:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «mendigagem»

Não só isso

 

      «Afinal sempre era amigo dela, maçava-o um pouco, mas tinha graça e fantasia, levava a vida a representar, e sofria com certeza, no seu fundo de mulher e de burguesinha portuguesa, por não se ter casado e não ter filhos, nem posição definida, nem arrimo, nem futuro, nem esperança, com a beleza já gasta, humilhada por uns e por outros, oferecendo-se a torto e a direito, resvalando na mendigagem do seu orgasmo difícil, de um galanteio reconfortante ou até só de uma companhia gentil e paciente» (A Noite Roxa, Urbano Tavares Rodrigues. Lisboa: Livraria Bertrand, 1956, p. 252). É acepção que falta no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

 

[Texto 9282]

Helder Guégués às 15:23 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «bola suíça»

É bom saber

 

      «A bola de pilates, também conhecida por bola suíça, surgiu em Itália, ganhou popularidade na Suíça e hoje é usada em todo o Mundo» («Bola de pilates suíça surgiu... em Itália», João Saramago, Correio da Manhã, 24.05.2018, p. 24).

      Bola suíça. É bom saber, pois claro, já não precisamos de dizer que é uma coisa em forma de assim.

 

[Texto 9281]

Helder Guégués às 12:27 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Chefe de família...

Era o poder marital

 

      «A família Carvalho, de Santa Comba Dão, juntou-se a outros 10 agregados familiares de todo o mundo para exigir às instâncias europeias mais ambição e uma resposta firme no combate às alterações climáticas. A ação judicial dá entrada esta quinta-feira no Tribunal da União Europeia. [...] Armando, engenheiro florestal e chefe da família Carvalho, não tem dúvidas de que as alterações climáticas foram as grandes culpadas dos fogos ocorridos há mais de sete meses, que semearam um rasto de destruição e morte em vários concelhos da zona Centro do país» («Família portuguesa processa Parlamento Europeu por tragédia dos incêndios», José Ricardo Ferreira, TSF, 24.05.2018, 11h02).

      Santa Comba Dão, chefe de família... Está aqui qualquer coisa errada. Ah, sim, Santa Comba Dão está certo. Ou é só impressão? José Ricardo Ferreira, essa figura, o chefe de família, deixou de existir a 25 de Novembro de 1977 — há 14 791 dias. Agora, a redacção do artigo 1674.º do Código Civil é outra.

 

[Texto 9280]

Helder Guégués às 12:23 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «a cappella»

Em coro: está mal

 

      As danças cossacas e os corais a capella e não sei que mais. Disse-lhe que não. Ah, mas está assim no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. E que culpa tenho eu disso? Vejo que sim, pois: «coro a capella/à capela». A expressão italiana correcta é a cappella, que significa «na capela». Corrija-se.

 

[Texto 9279]

Helder Guégués às 10:31 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Como se escreve nos jornais

Notícia incompleta

 

      Ainda o cachalote-pigmeu de ontem. Na edição de hoje do Correio da Manhã, o caso é tratado como insólito, e mais: «Cachalote arrojou no Cais do Sodré, em Lisboa» (p. 19). O insólito deve estar no que se omite — o que arrojou o cachalote?

 

[Texto 9278]

Helder Guégués às 10:12 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «peneirice»

Pois usa

 

      «O laço não é peneirice; a saúde é uma causa» (Teresa Dias Mendes, TSF, 24.05.2018, 8h40). Peneirice, pois, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. «E o festejo realizou-se no Clube de Golfe já com os martines, a última moda — que o Seixas era selecto, frequentava sítios finos — o que, aliás, estava de acordo com certa camada que jogava hóquei, desporto considerado alguns furos acima dos restantes na escala da peneirice» (Os Dias Portuenses, Helder Pacheco. Lisboa: Editorial Presença, 1989, p. 50).

 

[Texto 9277]

Helder Guégués às 09:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «heterozigotia»

Também nos faz falta

 

      «Com tantos sobreiros no país, como conseguiram os cientistas escolher a árvore? Começaram por analisar 28 sobreiros de quatro regiões. “Todos estes sobreiros produzem, de uma forma consistente, cortiça de boa qualidade, o que garante que a árvore seja um sobreiro puro”, conta-nos Marcos Ramos, investigador em bioinformática no Cebal e principal autor do trabalho. Acabaram por eleger o sobreiro HL8, que está desde o século XIX na Herdade dos Leitões, em Montargil, que pertence ao engenheiro João Pereira Lopes. “Foi escolhido por ter o genoma com menor taxa de heterozigotia [menor variabilidade genética], por ser uma árvore centenária e ter um vigor apreciável.”» («Árvore nacional, o sobreiro já tem o genoma descodificado», Teresa Serafim, Público, 24.05.2018, p. 30).

      No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, nem heterozigose nem heterozigotia. No VOLP da Academia Brasileira de Letras, apenas podemos encontrar o primeiro.

 

[Texto 9276]

Helder Guégués às 08:09 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
24
Mai 18

Comportamentos adictivos

Alguma coisa vai mudando

 

      «A falta de profissionais está a comprometer a capacidade de resposta do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Adictivos e Dependências (SICAD), organismo responsável pela elaboração da estratégia nacional, normas orientadoras e aprovação do investimento em projectos de intervenção» («Serviço para o tratamento das dependências perdeu um terço dos profissionais», Ana Maia, Público, 24.05.2018, p. 15).

      Muito bem, Ana Maia. Isso mesmo. Uma coisa é aditivo, outra, diferente, adictivo. Foi em 2014, lembro, que, por sugestão minha, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora corrigiu a grafia, passando a ser adicção e adictivo. Ainda há esperança, afinal.

 

[Texto 9275]

Helder Guégués às 08:07 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,