29
Jun 18

Léxico: «esquerda caviar»

Vão querer saber

 

      «Querem lutar por um islão integrado e pacífico, sendo acusados de Pai Tomas pelos islamistas e pela esquerda caviar? Ou querem manter a “honra“ lutando ou apoiando quem luta? A jusante, quem chega de barco é um tema polémico, porque a montante nós abandonámos os Jamal e os Malrich. Esquerda e direita desistiram da ideia de pátria e de república. A segunda só vê nação, a primeira só vê pequenas nações (as comunidades)» («Nasceram cá», Henrique Raposo, Expresso Diário, 29.06.2018).

      Um dia, daqui a cinquenta ou oitenta anos, alguém vai encontrar a expressão nos livros, por isso convinha que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora o registasse, no caso de ainda existir nesse futuro.

 

[Texto 9522]

Helder Guégués às 20:12 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «frugivorismo/frutivorismo»

Sem desculpa

 

      «Em Portugal, é certo que são poucos os seguidores desta dieta, mas lá fora já é bastante comum. De tal forma que Vanessa José já tem viagem marcada para Inglaterra, onde acontece em julho o Fruit Fest, um festival dedicado aos fãs do frugivorismo» («Frugivorismo. Há seis meses que Vanessa José só come fruta», Marta Cerqueira, MAGG, 24.06.2018, 8h00).

   Frugivorismo. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔. Este também regista a variante frutivorismo. Ora, o dicionário da Porto Editora, que regista frugívoro e frutívoro, também deve passar a acolher frugivorismo e frutivorismo.

 

[Texto 9521]

Helder Guégués às 13:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «alviceleste»

Ou todos ou nenhum

 

      «Diego Armando Maradona sentiu-se mal, no final do jogo da Argentina com a Nigéria que deu a passagem aos “oitavos” à alviceleste, mas o antigo jogador afirma que está bem» («Maradona diz que está tudo bem», Correio da Manhã, 29.06.2018, p. 10).

      Porque não regista alviceleste («que ou clube esportivo que tem as cores branca e azul», define-o Sacconi) o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, se acolhe, por exemplo, canarinho? Também o encontramos no VOLP da Academia Brasileira de Letras.

 

[Texto 9520]

Helder Guégués às 10:42 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
29
Jun 18

Léxico: «intermodal»

Só um retoque

 

      «O Andante, título de transporte intermodal dos transportes públicos da Área Metropolitana do Porto, estará disponível no telemóvel a partir de hoje, através da nova aplicação “Anda”, para já apenas compatível com o sistema Android» («Andante no telemóvel a partir de hoje», Destak, 29.06.2018, p. 4).

      Por isso, não está inteiramente correcto que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora defina intermodal como «designativo do sistema que inclui diversos meios de transporte (autocarro, metro, comboio, etc.) permitindo ao utilizador optar por aquele(s) que desejar para efectuar vários percursos com um único bilhete», pois pode ser, não com um bilhete, mas com outro título de transporte, como um passe, físico ou digital.

 

[Texto 9519] 

Helder Guégués às 08:18 | comentar | favorito
28
Jun 18

Léxico: «eléctrica»

Uma forma de dizer

 

      «As elétricas justificam o comportamento do preço com o facto de a subida da produção hídrica não ter compensado a queda da produção eólica e a paragem de duas centrais nucleares em Espanha, factos que obrigaram inclusivamente a uma maior importação de eletricidade de França e ao uso reforçado de centrais termoelétricas a carvão e gás natural» («Chuva engorda lucro da EDP em €200 milhões sem baixar a fatura da luz», Miguel Prado, Expresso Diário, 28.06.2018).

      Eu já chamei a atenção de todos, há uns tempos, para esta particularidade: nos últimos tempos, para se referirem às empresas de certos sectores, dizem «as tecnológicas», «as eléctricas», e por aí fora. Mais tarde ou mais cedo, isto tem de ir para os dicionários, ou vamos ter — teremos sempre, mas enfim, ajudemo-los — muitos falantes à nora. Foram os jornalistas económicos (em ambos os sentidos) que inventaram isto.

 

[Texto 9518]

Helder Guégués às 20:43 | comentar | ver comentários (6) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «búzio-canilha»

Mas está a tempo

 

      «As especialidades da casa [Marisqueira Rui, Silves] incluem, além dos esperados camarões, navalheiras, lingueirão, lagosta, amêijoas, sapateira e cataplanas mistas. Sempre que disponíveis, aposte nas conquilhas (€12) ou nas canilhas (€14)» («Algarve: a arte de mariscar em oito restaurantes», Paulo Brilhante e Fernando Brandão, Expresso Diário, 28.06.2018).

      Referem-se ao búzio-canilha (Bolinus brandaris), que tem concha com espiral globular e curta e voltas com espinhos normalmente bem desenvolvidos? O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não sabe o que é isso.

 

[Texto 9517]

Helder Guégués às 20:23 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «mariscar»

Uma arte

 

      «São oito, mas poderiam ser muitos mais. O Algarve é uma região privilegiada para mesas fartas e cheias de sabor a mar. Da zona rochosa de Sagres até às areias quentes do Sotavento, siga a rota dos melhores restaurantes e marisqueiras, a partir da seleção elaborada para o guia “Marisqueiras & Esplanadas” já à venda (reserve o seu exemplar através da Loja Expresso). Dos percebes às ostras, sem esquecer as amêijoas, as conquilhas, os camarões e os carabineiros, mariscar é uma arte no Algarve» («Algarve: a arte de mariscar em oito restaurantes», Paulo Brilhante e Fernando Brandão, Expresso Diário, 28.06.2018).

      Mariscar é petiscar, comer marisco? O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não sabe o que é isso.

 

[Texto 9516]

Helder Guégués às 20:14 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pastinaga/cherovia»

Corrigir, uniformizar, melhorar

 

      Pastinaga, lê-se no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, é a «planta herbácea, da família das Umbelíferas, de raiz carnosa comestível e de sabor intenso, cultivada na região da Serra-Da-Estrela [sic]; cenoura branca». Está bem, mas mostrem uma à minha sogra e ela dir-lhes-á que é uma... cherovia. Então, consultem agora o verbete cherovia no mesmo dicionário, e verão que é a «(Pastinaca sativa) planta herbácea, da família das Umbelíferas, de raiz carnosa, comestível e de sabor intenso, tem caule erecto, com cerca de 12 centímetros de altura, folhas grandes e pequenas flores amarelas; cherivia, pastinaga». Corrigir, uniformizar, melhorar.

 

[Texto 9515]

Helder Guégués às 15:56 | comentar | ver comentários (2) | favorito
28
Jun 18

Léxico: «raposa-voadora»

Quase perfeito

 

      Aos domingos, o Diário de Notícias também traz, para quem quiser fazer colecção, a réplica de um animal em perigo de extinção. Serão vinte, dos quais apenas um — isto vai melhorando — não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: raposa-voadora (Pteropus vampyrus), que, na verdade, não é nenhuma raposa, só voadora. É um morcego, o maior do mundo. Não, vendo bem, faltam dois, pois também não regista urso-panda, mas, como é uma falta comum a muitos dicionários — e, afinal, é mais comum dizer panda —, mas é compreensível. Mas não está tudo bem: tubarão-branco e mandril, por exemplo, não têm, no dicionário da Porto Editora, nome científico.

 

[Texto 9514]

Helder Guégués às 15:28 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,