10
Ago 18

Léxico: «desencavar»

Olha, pois não

 

      «O que seria uma autobiografia? Por definição, uma biografia escrita pelo próprio biografado. Mas, para fazer jus ao nome, o autobiógrafo – se assim podemos chamá-lo – deveria empregar as mesmas ferramentas de um biógrafo convencional» («Porque desconfio das autobiografias», Ruy Castro, Diário de Notícias, 5.08.2018, 6h18).

      Se assim podemos chamá-lo? Essa é boa. Há outra palavra para designar aquele que escreve a sua autobiografia? É autobiógrafo que os dicionários registam. O ponto de Ruy Castro é outro: pretende demonstrar que o que chamamos autobiografia (todas?) não passa de memórias, e já se sabe como a memória não é fiável. Para se fazer uma autobiografia, defende, tinham de se usar as mesmas ferramentas do biógrafo. Toma como exemplo a autobiografia de Rita Lee, que, obviamente, não considera tal: «Entrevistou somente a si mesma, vasculhou apenas a própria memória e duvido de que tenha desencavado muitos papéis obscuros, perdidos em gavetas secretas.» Desencavar — mais um que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora nunca viu.

 

[Texto 9752]

Helder Guégués às 10:18 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «interconfessional/interconfessionalismo»

Pois acreditem

 

      «Foi também por sua [de Augusto Esperança, pastor da Igreja Presbiteriana] iniciativa que se formou uma comissão de biblistas católicos e protestantes que acabaria por desenvolver uma nova versão da Bíblia em português. Foi a primeira tradução dinâmica em linguagem corrente e uma das primeiras interconfessionais em todo o mundo» («Morreu o “pai” da primeira tradução da Bíblia interconfessional em Portugal», Rádio Renascença, 7.08.2018, 14h39).

      É inacreditável, eu sei, mas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista interconfessional nem interconfessionalismo, ambos no VOLP da Academia Brasileira de Letras.

 

[Texto 9751]

Helder Guégués às 08:21 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «hipocentro»

É claro que não

 

      «Em Hiroxima, nas áreas a menos de 2km [sic] dos hipocentros, quase todos os edifícios arderam e ficaram totalmente destruídos. Em Nagasáqui, onde o terreno é em forma de bacia, cerca de 80% dos edifícios ruíram e grandes extensões de terreno arderam» («Sobreviventes da bomba atómica sentem-se culpados por não terem ajudado outras vítimas», Público, 9.08.2018, p. 40).

      Ó Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, emenda-te, pois hipocentro não é apenas aquilo que dizes: «GEOLOGIA região do interior da Terra onde se origina um sismo, foco sísmico». No Merriam-Webster, «the point on the earth’s surface directly below the center of a nuclear bomb explosion».

 

[Texto 9750]

Helder Guégués às 08:20 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

A lenha do autor

Só isto

 

      «Vou buscar um pouco de lenha», anunciou a personagem. Não, senhor autor: «Vou buscar uma pouca de lenha.» É coisa pouca, mas, pormenor a pormenor, são milhares de reparos.

 

[Texto 9749]

Helder Guégués às 08:18 | comentar | ver comentários (11) | favorito
Etiquetas: ,

Museu Britânico

E em português, pode ser?

 

      «Objetos com cinco mil anos, saqueados do Iraque após a queda do regime de Saddam Hussein, vão ser devolvidos ao país de origem depois de terem sido identificados por peritos do British Museum, anunciou a instituição» («British Museum devolve tesouros milenares roubados ao Iraque», Rádio Renascença, 9.08.2018, 17h07).

      O jornalista é ou muito novo ou muito velho e não sabe que nós dizemos Museu Britânico. Digam-lhe, até pode ser, sei lá, que o homem/a mulher agradeça. Às vezes acontece.

 

[Texto 9748]

Helder Guégués às 08:16 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «afasta-vacas»

Era agora

 

      «Igualmente invulgar foi o motivo que levou o comboio do Entronca- mento para Badajoz a perder 2 horas e 21 minutos. A automotora embateu numa vaca e ficaram, ambas, em muito mau estado. Por sorte, naquela zona, algures entre Torre das Vargens e Chança, havia rede de telemóvel e foi possível ao revisor pedir socorro (uma outra automotora foi rebocar a que ficou acidentada) porque na linha do Leste há secções onde não é possível comunicar a partir do comboio para o centro de controlo operacional» («Novos horários da CP não evitam mais supressões, atrasos e avarias», Carlos Cipriano, Público, 9.08.2018, p. 14).

      Neste caso é que, mais do que um limpa-trilhos, seria necessário um bom afasta-vacas. Agora com o telemóvel, porém, faz-se quase tudo — até se trabalha.

 

[Texto 9747]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «duna primária»

Ainda há esperança

 

      «Os buracos para colocar os alicerces da futura moradia já estão a ser feitos, o que obrigou ao derrube dos pinheiros. A residência vai ser construída, em plena duna primária, no lote 222, em desrespeito pelo articulado do Plano de Urbanização de Tróia, integrado na Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (UNOP-6), que se encontra em vigor» («Corte de pinheiros na praia de Soltróia provoca erosão das dunas», Carlos Dias, Público, 9.08.2018, p. 13).

      Como seria bom encontrarmos esta e outras locuções nos dicionários. Ainda há esperança, apesar de tudo.

 

[Texto 9746]

Helder Guégués às 08:13 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
10
Ago 18

Léxico: «relvão»

Isto não pára

 

      «Os espanhóis não têm esse problemas, pois, dispondo de maior espaço aconselhável só para pastos, alongaram para o norte do Douro a caminhada em busca das ervagens de verão, que encontram na zona de Puebla de Sanábria, em vez do que sucedeu outrora e a mais curta distância, nos relvões da Serra da Estrela» (Os Lusitanos: Mito e Realidade, Adriano Vasco Rodrigues. Lisboa: Academia Internacional da Cultura Portuguesa, 1998, p. 129).

      Relvão. Outra que foi expungida dos nossos dicionários. Ah, valentes, quase conseguiram deixar os dicionários nus e rotos. Terreno abbondante di erba...

 

[Texto 9745]

Helder Guégués às 08:11 | comentar | favorito
Etiquetas: ,