21
Ago 18

Léxico: «limão tangerino»

Também dos Açores

 

      «Este chicharro, por exemplo, chega-nos temperado com o belo do limão tangerino (um citrino muito aromático) e as pétalas de açaflor» («Conserva de luxo vem dos Açores», Edgardo Pacheco, «Sexta»/Correio da Manhã, 17-23.08.2018, p. 43).

      Tangerino, nesta acepção, não encontramos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, quanto mais limão tangerino. Estamos condenados a admirar eternamente o que é estrangeiro e a desprezar o que é nosso. É o nosso fado.

 

[Texto 9816]

Helder Guégués às 10:21 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
21
Ago 18

«Pôr-do-sol/pores-do-sol»

O básico, de novo

 

      «“Estou cansado de reuniões, de tele-conferências [sic], de horários e mudanças de palavras-passe e da comiseração de segunda-feira de manhã no elevador. Estou cansado de passar as melhores horas do meu dia à frente de um retângulo brilhante, de que a cor dos meus melhores anos seja o cinzento e o bege. Já perdi demasiados pôr-do-sol. Demasiadas trovoadas passaram sem ser vistas, demasiadas brisas suaves não foram sentidas. Existe magia por aí, nesse grande maravilhoso e bonito mundo e há muito que agarrei os últimos bocadinhos que podem ser encontrados no meu cubículo. Eu sei que há outra forma de vida. Eu já a experimentei. Mas agora é tempo para me comprometer com ela”, escreveu Jay Austin no blogue» («Afinal o casal de ciclistas assassinado pelo EI não viajava para “provar” bondade humana», Observador, 20.08.2018, 22h11).

      Observador, não és lá muito observador: então o plural de pôr-do-sol não é pores-do-sol? Mas, como observas o Acordo Ortográfico de 1990, tens de escrever pôr do sol e pores do sol. Se queres ser premium, tens de te apurar.

 

[Texto 9815]

Helder Guégués às 10:17 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,