25
Ago 18

«Biólogo/biologista»

Conhece-nos muito mal

 

      «A proposta mais estranha virá talvez da Rejuvenate Bio, uma startup norte-americana com investimento da Harvard Medical School que quer, segundo o biologista George Church, fazer as pessoas viverem até aos 130 anos num corpo de 22» («Está preparado para viver até aos 100 anos?», João Valente, Montepio, Verão de 2018, p. 10).

      João Valente foi atrás do inglês biologist, mas, desta vez, sem consequências indesejáveis: também temos «biologista». Devo, porém, dizer que nunca antes eu vira a palavra fora dos dicionários. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora de biologista remete simplesmente para biólogo, como de paleontologista remete para paleontólogo. No Facebook, esse grande repositório de desinformação e outras coisas piores, leio na página Nomes Científicos, de Rafael Rigolon, que «biólogo está tão correto quanto biologista», mas que é preciso atentar em alguns matizes: «O sufixo ‘-logista’ é uma influência da língua inglesa, que usa o sufixo ‘-logist’ (‘biologist, aracnologist’). Há uma preferência regional pelos sufixos. Em Portugal e outros países usam-se muito o ‘-logista’ (biologista, primatologista) e no Brasil o ‘-ólogo’ (biólogo, primatólogo).» Rafael Rigolon, só lhe digo que teve azar com o exemplo das «preferências» em Portugal.

 

[Texto 9829]

Helder Guégués às 19:00 | comentar | ver comentários (7) | favorito
Etiquetas: ,

Não: é «salgalhada»

Trapalhada

 

      «O ex-deputado José Eduardo Martins, que foi secretário de Estado do Governo liderado por Santana Lopes, é ácido sobre os excertos da declaração de princípios do novo partido já divulgados. “Fiquei um bocadinho surpreendido com a salganhada ideológica. Se calhar já vai tarde para estudar”, afirmou ao Público José Eduardo Martins, que, recentemente, apoiou a decisão de Pedro Duarte de desafiar a liderança de Rui Rio» («Entre a “salganhada ideológica” e o “desgosto” de Sá Carneiro», Sofia Rodrigues Público, 19.08.2018, p. 9).

      José Eduardo Martins, então não é salgalhada que se diz? Se calhar também já vai tarde para estudar.

 

 [Texto 9828]

Helder Guégués às 08:49 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
25
Ago 18

«Ponto por ponto»

Não ponto, mas vírgula

 

      «A TVI mantém, ponto por ponto, tudo o que foi denunciado e afirmado na reportagem», afirmou ontem enfaticamente, nas Notícias 15H, a jornalista Paula Magalhães. Não sei de que lhe serve a experiência. Devia dizer, por exemplo, que a TVI mantinha, sem tirar nem pôr, tudo o que afirmara. Ou que não mudava uma vírgula. A locução ponto por ponto tem outro significado e aparece habitualmente integrada na frase «narrar ponto por ponto alguma coisa»: em pormenor, com toda a miudeza, com todas as circunstâncias.

 

[Texto 9827]

Helder Guégués às 08:47 | comentar | favorito
Etiquetas: ,